quarta-feira, 4 de maio de 2016

Sobre ocupação nas escolas públicas

Ano passado, houve grandes manifestações nas escolas públicas estaduais na cidade de São Paulo. Confesso que senti dor física ao ver a E.E.P.S.G. "Fernão Dias Paes" (nome que levava nos anos os quais estudei lá, 1981, 1982 e 1983) tomada e sendo destruída por estudantes. Para mim, tudo não passava de movimento político. Nem precisava ser muito inteligente para perceber isto, bastava observar a liderança e as palavras de ordem. Até que....

....o tempo passou. Alguns meses se passaram. Veio o escândalo da merenda, como tantos e tantos escândalos que assolam nosso país. E o problema bateu na minha porta.

Há pouco mais de dois anos, comemorei o ingresso da Bibizoca em uma ETEC - Escola Técnica. Ela ingressou no curso de Edificações, em uma boa unidade, perto da nossa casa, com uma relação de candidato/vaga bem concorrida. Ela conseguiu. Comemoramos, vibramos, ficamos felizes, presenteamos o esforço e dedicação dela.

Para quem não é do Brasil, tampouco de Sampa, as Escolas Técnicas existem já há muitas décadas, mas ME PARECE (e aqui cabe a quem de interesse pesquisar melhor) que o atual governador do Estado foi o responsável, em suas gestões, pelo aumento do número de unidades, que são mantidas pelo Centro Paula Souza - CPS, uma autarquia deste Estado. É a autarquia que recebe a verba e repassa para todas as unidades. De que forma? Desconheço.

Desde o primeiro momento, sempre tive muito orgulho da escola. Nunca imaginei que minha filha seria mais bem tratada dentro de uma escola pública, do que em uma particular. Corpo diretivo e corpo docente totalmente engajado em fazer naquela unidade um trabalho diferenciado. Soube no momento da matrícula que a verba recebida do CPS era muito baixa e insuficiente para manter a escola. De modo que a escola organiza anualmente uma festa junina e outro evento para arrecadar fundos para coisas básicas, como material de limpeza, material escolar, merenda, manutenção predial, dentre tantas outras necessidades. A contribuição feita pelos pais, através da Associação de Pais e Mestres é muito baixa.

Com o escândalo da merenda escolar, a escola deixou de receber merenda. Como? Se a merenda era comprada com o dinheiro recebido? Passei a ficar confusa, mas sem tempo, não fui atrás da verdade.

Já tem alguns dias que estão ocorrendo movimentos das ETECs, com manifestações na sede do CPS, que na última semana foi ocupado por alunos; junto com a ocupação, várias reivindicações.

Bibizoca não tem tido aula. Apenas reuniões, e reuniões, e reuniões....para decidir se os alunos vão "ocupar" a unidade na qual ela estuda. Ontem a noite, decidiram pela ocupação.

O movimento é totalmente ordenado: gestores e alunos combinam a ocupação. Alunos bonzinhos "não deixam" ninguém entrar. Funcionários "obedientes" ficam do lado de fora. Todos amigos. Quem está do lado de dentro faz vídeos e divulga pelas redes sociais. Basta assistir ao primeiro minuto de um vídeo, para conseguir achar mais erros do que em uma revista Coquetel inteira de "Jogo dos Sete Erros". A escola dormiu ocupada. E eu? Não dormi.

Já são duas semanas sem aulas regulares, não há uma data para o fim da "pseudo-ocupação" e corri atrás do prejuízo: dia 04 de maio de um ano letivo, no terceiro ano do Ensino Médio, véspera de vestibular, tive que conseguir uma escola de qualidade para minha filha. O problema é que boa escola não tem vaga. Então com cara de mendiga pedinte, lá fui eu bater em algumas poucas portas para solucionar o meu problema. Matrícula efetuada, materiais comprados, amanhã ela começa um novo ciclo do final de um longo ciclo, que é a conclusão do Ensino Básico.

Quanto ao movimento: ao passar por um semáforo nas redondezas da escola, mais de uma dezena de alunos faziam baderna; batiam de carro em carro com cartolinas, pedindo dinheiro para a escola. Se é para pedir dinheiro no farol, para que "ocupar" a escola e pedir dinheiro ao Estado?

Queria estar com as ideias mais em ordem, sem o cansaço físico e mental que me tomam, para poder desenvolver o assunto de modo mais claro e expor todas as falhas desse movimento desordenado, manipulado e político. Só que vou deixar para depois. Um problema por vez, e o de hoje está resolvido!

Este é o Brasil!