sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Dostoievski dizia mais ou menos que temos a tendencia a reclamar das coisas ruins e não comemorar as boas, como se estas fossem obrigações na vida. Discordo. Hoje estou apta a comemorar o meu dia MARAVILHOSO.


Desde minha reclamação aqui no blog (que está parecendo serviço de atendimento aos desentendimentos do casal), marido resolveu não colocar mais o celular dele pra tocar tão de madrugada. Instalou o rádio-relógio no seu criado mudo, colocou um CD que eu escolhi (Kenny G, AMO) e agora ele acorda com uma suave música.


Hoje (apesar de não ter tocado o CD e sim o rádio), após o toque de levantar, as criancinhas Hummel também resolveram se levantar e aprontar para a escola. E quando o Toruboi saiu do banho (já com chapinha intacta, maquiagem e cílios postiços colocados), todos estavam prontinhos. Assim, papai os levou para a escola.


Acho desumano eu ter que ir até Santana levar as crianças para a escola, sendo que é caminho para o marido. É um carro a menos saindo de casa. Eu nem voltei a dormir, já levantei super hiper mega demais empolgada e fui resolver VÁRIAS pendências que tinha.

Happy Hour x Ursula Hummel x Fred


Dica de português

Quero assistir o filme. O verbo assistir é transitivo indireto, portanto quem assiste, assiste A alguma coisa. O verbo assistir, quando possui sentido de presenciar, ver alguma coisa, é um verbo transitivo indireto, portanto, entre o verbo e o objeto tem que existir a preposição. Somente para o caso de televisão, segundo o gramático Celso Luft (que na minha opinião não é dos melhores, portanto, sigo todos os outros gramáticos), é possível dizer ASSISTIR TEVÊ, sem cair no erro.

A foto de hoje

Por quê é que penduramos a cabeça para o ladinho, assim, pra tirar foto? Ainda mais com um cabelinho de doer?