terça-feira, 28 de agosto de 2012

Uma foto para o dia de hoje



Bom, esta foto já deve ter no meu blog, mas estou com pressa pra sair e com preguiça para procurar, portanto, eis a família um ano atrás, no casamento da Pops! (foto especialmente postada para a Than)

Sobre pessoas indesejadas

Eu já li em vários blogs algo semelhante ao que vou escrever agora. Há pessoas que leem meu blog e se sentem incomodadas. E volta. Pior, deixam recados ANÔNIMOS por falta de coragem de expor sua real maneira de pensar. Gente que saiu da Cohab Itaquera para morar no Lauzane Paulista e acha que enriqueceu, morando em um condomínio podre, cheio de problemas, com apartamentos infiltrados, com coisas ruindo, e longos anos de financiamento pela frente. Ainda tem mais, gente que não conhece algo previsto em nossa Constituição Federal chamado de LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Aqui eu falo que este condomínio em que moramos é uma porcaria, que não vale o preço que pagamos, e quem não estiver satisfeito com os meus comentários, pare de ler este blog, já que nunca foi bem vindo aqui.

Ah... aguardem as surpresas, pois acabo de conversar com um super hiper mega amigo meu que é advogado (claro, além de todos os outros vinte moradores advogados deste condomínio) e... e... e vem novidades por aí.

Para bom entendedor, o recado foi dado!

Ser mãe: uma escolha

Muitas mulheres planejam engravidar. Outras, engravidam sem planejar. Cabe a cada uma delas decidir ou não ter o filho. Mas parir não significa ser mãe.

Ser mãe é tudo de mais complexo que há no curso da vida. Quando estava grávida dos meus filhos, não pensei o porquê de eu decidir parir. Ainda não sabia se seria mãe ou parideira. Acredito que sou mãe.

Cada uma das criancinhas Hummel, ao nascer, foram agraciadas por mim com uma caixinha surpresa. Dentro dela, havia várias coisas, que eu os ensinaria (e os ensino) a usar ao longo da vida.

Uma das coisas que havia na caixinha era o kit de boas maneiras. Neste kit estão incluídas várias palavrinhas mágicas que os ensinei a usar direitinho, como por favor, com licença, obrigada, pois não, claro, com certeza. 
Uma das sensações mais ingratas que tenho, é a de ter sido passada para trás. Não só eu, mas muita gente que conheço. É uma mistura de impotência com burrice. Contudo, quando somos honestos, somos capazes de reverter a situação, ajudar ao nosso próximo e não deixar com que outras pessoas vivam seus mesmos pesadelos. Essa é a minha história do ano de 2010.

Começamos o ano com o pesadelo de morar em um condomínio entregue inacabado pela construtora Cyrela. Além de tudo, fomos surpreendidos (quando digo "fomos", me refiro aos outros 247 compradores do empreendimento) pela venda casada: a Cyrela entrega o condomínio e ela mesma o administra, pelo prazo de dois anos (cláusula contratual que NINGUÉM lê ao comprar o imóvel).

Vivi os piores pesadelos da minha vida. Os valores cobrados pelos prestadores de serviços, que na verdade não prestavam nenhum serviço, estavam muito, mas muito além da média praticada pelo mercado em um empreendimento de nível semelhante. Vi meu sonho sendo destruído diariamente. O paisagismo morrendo (o contrato com a empresa de jardinagem, firmado entre a Cyrela/administradora/síndica e a empresa  não incluia REGA DOS JARDINS), pessoas ficando presas nos elevadores (até bombeiro foi acionado para resgate), um condomínio LOTADO de ratos (pois a empresa de limpeza não limpava nada), tudo encardido, tudo sendo destruído, entrou ladrão no condomínio (e a segurança DORMIA, só um morador percebeu a invasão), enfim, o caos.

Com a ajuda dos moradores do condomínio Allore Vila Romana, também vendido/construído e administrado pela Cyrela/Mondex*, conseguimos exterminar este mal das nossas vidas. E a partir daí, fomos procurados, através da internet, por outras dezenas de compradores Cyrela na mesma situação: condomínio Central Park Móoca, condomínio Humanari no Brooklin,condomínio Reserva Jardim no Jardim Avelino, condomínio Viva em Jurubatuba. Formou-se uma comissão de extermínio. Após o Allore sair vitorioso e livre, foi a nossa vez, o Ápice Santana, seguido do Reserva Jardim e por último o Viva. O Humanari e o Central Park Móoca ainda continuam suas lutas.

*Mondex Flex é o nome da administradora de condomínios, criada em parcela da Cyrela com o Grupo Itambé, para administrar (ou fingir que) os condomínios entregues pela Cyrela. Com valores exorbitantes, promessas mirabolantes, a dupla Cyrela/Mondex apenas cobra, e deixa seus clientes a ver navios.

O poder do pensamento

Alguém duvida dele? Se duvidar, pode começar a rever seus conceitos...

Muito antes de existir "O Segredo", eu já tinha a filosofia de que tudo que pensamos, atraímos.

Espírito de porco - ele veio para ficar

Estava eu conversando com meu irmão sobre a polêmica que alguns assuntos geram em um blog. Em especial, quando se trata de custo das coisas, há uma grande discussão. Eu e meu espírito de porco, que anda ao meu lado desde o dia em que nasci, tivemos uma idéia: vamos inventar alguma história? Na verdade, o espírito de porco é muito mais dono de mim do que eu mesma. Sempre gostei de aprontar, de inventar, de sacanear. Quando criança, o dia mais feliz da minha vida não era o do meu aniversário, o das crianças ou o Natal. Era o dia da mentira. Fui a rainha do trote, as coisas que aprontei com um telefone foram de arrepiar até os espíritos de porco mais elevados do mundo celestial. Por conta da conversa, das lembranças e do grande número de visitantes que tenho recebido aqui, decidi lançar no blog a sessão "espírito de porco". Se você tem uma história de espírito de porco de arrepiar, mande para mim no email: ursulahummel@hotmail.com. Publicarei sua história, com os devidos créditos, para que todos possam entender que o mundo é muito mais divertido do que se imagina.

Quando a boa prestação de serviços é melhor que a propaganda

Há muito já se diz que a propaganda é a alma do negócio. Pode até ser, desde que esta propaganda seja feita no boca a boca. 

Vejo diariamente inúmeras empresas invadindo nossas leituras com propagandas: revista, jornal, televisão e, pasmem, até os bons blogs são hoje hospedeiros de propaganda.

Olhem meu exemplo: comprei um apartamento que custa muitos e muitos dinheiros de uma conceituada construtora. O apartamento é um lixo. Em um ano, foram 3 vazamentos, um armário apodrecido por infiltração, áreas sociais alagadas, os batentes das portas de todos os cômodos estão CAINDO...e a empresa gastando dinheiro com propaganda.

Meu questionamento: por qual motivo a tal empresa não gasta seu dinheiro investindo em qualidade em seus produtos milionários? 

Enquanto empresas lixo gastam dinheiros e mais dinheiros em publicidade, eu convido pessoas e mais pessoas a conhecerem meu apartamento, o condomínio onde moro, e a contra-propaganda funciona muito mais que palavras bonitas que custam fortunas para certas empresinhas de fundo de quintal, que fizeram nome e, depois de famosas, tratam seus consumidores como lixo.

A construtora que tive a infelicidade de ser cliente é conhecida de qualquer pessoa que esteja lendo este post agora: CYRELA. Fuja, pois é fria!

Quem é vivo (ou ainda está vivo) sempre (re)aparece

Saudades do meu blog, saudades das minhas amigas blogueiras. Foram quase seis meses sem sequer logar no Blogspot e quando chego hoje, tudo está diferente. Vamos encarar, afinal, a vida muda, o tempo muda, o Facebook muda, por que não o blog mudar?

Tudo nas nossas vidas é muito efêmero. Vivemos hoje a era da ansiedade e da depressão. Porque os indivíduos estão preocupados em viver o ontem e o amanhã. Enquanto isto, o hoje passa e não o vivemos. Assim, estamos desperdiçando a vida.

Eu, que vivo no mundo de Pollyana, preciso aprender a crescer. Os quarenta estão cada vez mais próximos e não dá mais pra acreditar em Papai Noel. Achar que vou conseguir resolver problemas que existem desde antes de eu nascer. Sou apenas humana, e não uma super-heroína. 

Há dez dias, em uma consulta médica, com diagnósticos de saúde péssimos, ciclo que estou vivendo já há um ano e meio, tive que escolher entre ir ou ficar. Resolvi ficar, e para ficar, preciso aprender a não me importar com os outros. A não fazer nada pra ninguém achando que terei retorno. Continuarei exercendo a bondade, a caridade, a benevolência, mas a paciência, que já não existe em mim faz tempo, desisti de procurar.

A vida é cíclica. Hoje, neste exato momento, minha melhor amiga é a Maria. Minha colega é a Joana e minha conhecida é a Luana. Se as três precisarem de socorro, deixarei minha vida e farei o que estiver ao meu alcance, em pé de igualdade. Só que agora estou consciente de que amanhã, quando chegar a minha dor de barriga, não será com nenhuma das três que vou contar. Surgirá do nada a Suzana, que me estenderá mãos, braços, pernas, ouvidos. Foi duro entender e crescer neste sentido, mas descobri que amizades não são eternas. Podemos sim manter vínculos com pessoas por muitos anos. Amigo, contudo, é aquele indivíduo que estendeu as mãos pra você na hora em que você precisou. Às vezes, as pessoas que mais se distanciam são aquelas as quais mais você ajudou. Aprendi que só posso fazer as coisas por amor, e assim será de agora em diante. Sem esperar troco, pois não vivemos na padaria. Vivemos no mundo real, com pessoas egoístas e egocêntricas e onde poucas estão dispostas a estender as mãos ao próximo.

Infelizmente, sempre pensei diferente. Sempre achei que ao meu lado estariam as pessoas que sempre ajudei. Só que aconteceu exatamente ao contrário. Nos últimos dezoito meses, surgiram tantas pessoas boas na minha vida, tanta gente que surge do nada para ajudar, para ouvir, para doar. E foi após minha consulta médica e horas de reflexão, que resolvi mudar meu jeito de viver.

É difícil mudar. Porque nascemos sem tecla. Infelizmente. Mudar só depende de nós, da nossa força, da nossa vontade, do nosso desejo de ver o melhor. Isto é o que busco para mim. O resto, vou apertar a tal tecla que a médica me indicou. E quem viver, verá....

Saudades dos meus amigos blogueiros, pois só quem vive na blogsfera pode entender o quão grande é este mundo e quantos amigos podemos fazer. Algum blogueiro discorda?