quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Mais um dia, um dia a menos

Voltei cedo hoje para o flat. Meu filhotinho veio comigo, pois sente falta de ficar com a gente. Está em uma abstinência louca devido a saudade que sente da irmã. E eu? Dez dias sem ver minha filha. Ainda bem que ela está super bem protegida com a minha Dinda. Até viajar para São Carlos ela foi e já voltou. Domingo, vai ser o primeiro dia que dormiremos na casa nova. Estou aguardando a instalação de um painél no meu quarto para poder montar a cama. Os banheiros já tem banho quente, duchas maravilhosas (depois postarei uma foto da minha), já tem gás, luz, a instalação do fogão está a caminho. Segunda-feira, viajaremos para as festas de Natal e quando voltarmos, acreditamos que os detalhes de acabamento estarão no fim. Ah... preciso ir até a rua do Gasômetro comprar puxadores. Na rua Paes Leme também tem variedade e bons preços. Mas atravessar a cidade em dias de chuva e às vésperas das compras, no way. Acho que os puxadores ficarão para a volta mesmo!
E falando em Natal, cidade cheia, compras... ontem precisava comprar um edredon. Como mudamos o tamanho da cama, precisava mudar o tamanho do edredon. E não dava para remendar nenhum dos tantos que tenho em casa. Lá fui eu para a muvuca. Consegui comprar um 400 fios MARA. Nada de dizer que NINGUÉM USA EDREDON NO VERÃO. Eu uso. Amo deitar na cama sobre o edredon fofinho, macio, novinho. Amei minha compra. Aproveitei para comprar gêneros de primeira necessidade: a primeira chuteira do meu filho (ficou demais), uma bola de basquete oficial para ele (só depois que meu marido me disse que era para comprar uma infantil; tarde demais), roupas de camas novinhas para as crianças. Nossos jogos de lençóis vieram de Chicago, por um preço de banana que até parece mentira: cada kit com dois jogos de SEIS peças, tamanho king, 400 fios penteados por... por... por... CEM REAIS. Qualidade maravilhosa, parece seda. Não vejo a hora de experimentar!
Aproveitei hoje que o serviço de entrega estava mais light no Solar dos Hummel para comprar mais coisinhas na rua. Amanhã finalizo a parte suja que não tem poeira e volto para o Solar, respirar serragem e gesso! Afe!

Minha primeira visita na casa nova

Era para ser digna de foto, mas ONDE FOI PARAR A MÁQUINA FOTOGRÁFICA?

Dia 15, dia de pagamento. Como conseguir ir até o colégio para receber? No way. Liguei para o Diretor Financeiro e pedi para que o pagamento fosse feito para minha Mida e ele concordou. Ela já havia marcado de ir em casa na 6a. feira e, assim, levaria meu pagamento e devolveria os meus diários de classe, já que não consegui ir até o colégio depois de terminadas as avaliações. Mas ei que de repente, em meio ao caos, ela me liga dizendo que já está a caminho de casa. AMEI.

Não gosto da formalidade de ter de convidar pessoas para me visitar. Acho que amigo tem que ter liberdade para entrar e sair. Acho isto, porém, porque só tenho amigos que têm bom senso. É um privilégio.
Eis que minha Mida conheceu o Solar dos Hummel, demos uma volta pelo condomínio, quase colocamos as mãos em algunas das piscinas, se não tivessem TODAS ficado preta (será que é produto para tratamento?) e ainda pudemos colocar um pouco dos assuntos em dia.
E o melhor, 6a. ela vai de novo! Disse que me ajudará na arrumação dos armários de cozinha. E falando na cozinha, hoje chegaram todos os armários, amanhã é o dia da instalação e na 6a. feira, a Brastemp vai instalar meu fogão e a máquina de lavar-louças. Tudo com cara de casa, cada vez mais.
Como minha santa irmã encontrou hoje TODAS as minhas quatro máquinas fotográficas (é realmente um absurdo ter perdido as quatro em meio à mudança, cada uma em um canto), sexta-feira publico uma foto da minha visita!!!!

Boca santa

Sábado, acordamos e comentei com meu marido que estava há uma semana sem dor de cabeça, mesmo passando 12 horas por dia na obra do apartamento (já que estamos usando um flat para dormirmos e fazermos as refeições). Adivinha só o que aconteceu comigo no domingo? Levantei com uma baita dor de cabeça, que já completa o quarto dia. Hoje passei o dia totalmente irritada por conta da tal dor. Não tem nada pior que perdermos a liberdade de ação por conta de algo que parece inofensivo, mas acaba sendo totalmente nocivo. Da próxima vez, vou conter meus pensamentos antes de externá-los. E dá-lhe Naramig.

Sou amiga da Xuxa

Se tem uma coisa que, para mim, não rola, é o tal twitter. Primeiro, não gosto de nada em versão "mini". Como sempre tenho muito assunto e não consigo dizer nada por dizer, não há como existir um casamento entre mim e a grande ferramenta internáutica (existe tal palavra?) do ano de 2009. Depois que há coisas que acho muito engraçadas no twitter. As pessoas ficam twitando umas com as outras e tenho certeza que tem gente que se acha amigo de celebridade. Ok, cada louco com sua mania, cada maníaco com suas necessidades. A minha necessidade é bem mais real e bem menos glamourosa que ficar limitando minha criatividade a 140 caracteres só para me sentir amiga de artista. Tenho mais o que fazer. Fui

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Pulseira do Sexo


Para mim, chega a ser patético o código mundialmente usado através do uso de pulseirinhas de silicone coloridas. Meu filho de quatro anos adora as tais, cujo nome ele nem sabe pronunciar direito: "coceila". Minha filha de dez usa todas coloridas, ganhou de diversas pessoas, inclusive de mim. Qual a conotação sexual que pode haver para crianças tão pequenas? Acredito que os pais devem estar alertas e com atenção redobrada aos filhos, já que há muita crueldade no mundo e tudo pode acontecer. Mas não enxergo problemas ao ver meus filhos usando as pulseiras quando estão na presença dos pais, que no meu caso e do meu marido, não costumamos desgrudar das crianças nas ruas. Veja matéria completa: http://www.revistaepoca.globo.com/ (fonte da fotografia também).

O fantástico caso da lagartixa de verdade


Tem história que parece episódio de “comédia da vida privada”, pois só através de encenação, é possível tornar real aquilo que vivemos. Quiçá eu fosse uma verdadeira contadora de causos e conseguisse transferir a veracidade de um momento apenas com palavras. Quiçá. Por ora, tentarei narrar o episódio mais engraçado da minha vida nos últimos tempos.

Estávamos nós na Fast Shop sábado passado. Meu marido foi comprar um dock station e enquanto ele olhava e refletia, eu comprei um mixer da Cozinart MARA, que já estava namorando havia tempos. Aproveitei também para comprar um novo filtro digital da Philips que amei. Paguei minhas compras e estou aguardando os pacotes em frente ao café da loja. De repente, vejo uma lagartixa branquinha, que se destacava no preto do saco de lixo em que a “calanga” repousava. Chamei meu filho, que estava grudado ao pai desde que entramos na loja. Meu calanguinho, que nunca tinha visto uma “companheira” de perto, olhou, recuou e avançou para bem pertinho da bichinha. Perguntou para mim se era de verdade e respondi que sim. Disse para ele colocar a mão para ver que era mesmo de verdade. Eis o episódio cômico que parou por uns dez minutos funcionários e clientes da loja. Quando meu filho encostou na lagartixa, a bichinha se assustou e pulou longe. O mesmo fez meu filho, que também se assustou e pulou mais longe ainda. Não sei dizer o que foi mais engraçado: a dúvida dele sobre a veracidade do bicho, o susto dele, o susto da lagartixa ou as tiazinhas que aproveitavam o mega saldão da loja, rindo e exclamando: “que menino bonzinho, obedece tudo que a mãe manda; ela mandou colocar a mão na lagartixa e ele colocou”.


Sei que a história pode parecer sem graça para quem não estava presente, ainda mais sendo contada de maneira escrita. Mas precisava deixar registrado este cômico momento da infância do meu filhote, que promete ser um bom caçador... de formigas!

Procura-se um arco-íris desesperadamente


Na verdade, procuro mesmo um pote de ouro no final do arco-íris. Mais além da verdade, queria que me fosse concedido um desejo. Por um único dia, poderia ser até em horário comercial, gostaria de ter um dia de compras. E podem ser compras específicas: só coisa para casa, só coisas que ainda não temos em casa, só coisas que sonhamos para casa. Por quê será que decorar casa é algo que não se finda nunca??????

Ursulascuda


Tenho certeza de que o Cascão se enamoraria de mim até o infinito, caso cruzasse meu caminho quaisquer dos últimos dias. Chego da obra um caco só... não vejo a hora de chegar a próxima semana e fazer pés, mãos, cabelos, sobrancelhas, depilação, plástica, comprar uma Úrsula nova...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

E no Solar dos Hummel...

... mais um passo foi dado. Aliás, dois: aquecedor e duchas - instaladíssimmooossss...

E o piso está 99% instalado também. Faltou um pedaço do rodapé do escritório, que será instalado amanhã.
Já nem faço mais conta de nada. Cheguei a um ponto de comprar tudo o que precisamos para a casa funcionar, de maneira básica. E a conta... pago quando chegar, como der e como sempre digo para o marido: sempre dá para pagar. Quem não arrisca, não petisca.
Assim que eu encontrar uma das duas máquinas de fotografias na mudança, prometo tirar fotos e postar. Espero encontrar uma delas em uma semana, já que daqui sete dias, estrada, lá vamos nós! Iuuuupppiiiiiiiiiiii.....

Família!

O blog da Pandinha agora está repaginado, e desta vez, por um profissional de verdade: meu irmão. Hoje, falaria do meu irmão de qualquer maneira. Há histórias que são familiares e só irmãos para conseguirem rir. Eis que hoje lembrei de uma sobre o criador do novo layout do meu blog.

Dezessete anos atrás, quando me casei, fui até um supermercado do bairro comprar algumas coisas para o chá de cozinha. E meu irmão, junto comigo, quase me levou para o xilindró. Estamos passando pelas gôndolas do supermercado e percebi que aquele moleque pescoçudo e magrelo tinha uma aparência estranha. Cheguei mais perto e percebi que ele estava roubando, na caruda, uma caixa de bombons Garoto e mais uma de Bis. Imaginem, porém, que o larápio tinha míseros dez anos, e dezessete anos atrás, as caixas de bombons ainda pesavam meio quilo, sendo bastante bojudas. Dei vários safanões no orelhudo e como até hoje nunca soube de nenhuma prisão do cara, acredito que os safanões serviram para que meu irmão envedrasse para o caminho do bem. Tanto que ele até aprendeu a "layoutar" blogs...

Valeu MV, AMEI o visu da Pandinha no espelho, mas não podia deixar de contar suas malandragens de infância. Love ú

domingo, 13 de dezembro de 2009

Soluções criativas

Confesso que não tinha a menor idéia do quanto se gasta para mudar para um apê zero quilômetro. Sei que os gastos seriam menores se eu não tivesse decidido trocar TUDO o que tinha por ABSOLUTAMENTE TUDO novo. E, claro, há um preço ALTO para ser pago.
Eis que, depois de termos de quitar o apartamento, o dinheiro para os detalhes, tipo decoração da sacada (incluindo fechamento com vidro), móveis da sala e decorações diversas, nosso caixa zerou. Só que eu queria muito uma sala de jantar nova.
Alguns anos atrás, minha cumadi/marida/irmã/amiga/tudo comprou uma super hiper mega linda mesa para a sala de jantar. E eu me apaixonei. Logo em seguida, nos mudamos para o Chile e compramos uma sala de jantar completa, hiper mega super demais de linda... madeira maciça com tampos em granito na mesa de jantar, aparador, mesa de centro e lateral. Só que depois de usar por NOVE LONGOS MESES a mesma mesa como mesa de jantar, almoço, café da manhã, escritório, escrivaninha, mesa de estudos etc., não aguentava mais olhar para ela. E a solução? Eu e cumadi trocamos nossas mesas e cadeiras. O resultado na casa dela foi show, meus ex-móveis ficaram MARA. Amanhã, instalarão os pisos dos quartos e na 3a. feira, na nossa sala. Não vejo a hora de ver como ficará minha mesa na sala nova. Na verdade, ficará linda, já que ela será, por alguns meses, o único adorno/móvel da sala do SOLAR DOS HUMMEL.

Caos


Ok, avançamos mais um pouco. Mas muito pouco. Comentei ontem com meu marido que MILAGROSAMENTE passei a semana inteira dentro da obra e sem dor de cabeça. Claro que tomando muito remédio preventivo. Até que... acordei hoje completamente chapada de dor de cabeça. O resultado? Fico imprestável e nada anda. Perdemos algumas horas, em plena manhã de domingo (mas às vésperas do Natal) para conseguir comprar bobagens. E uma das bobagens chama-se ADAPTADOR DE TOMADA.


Queria saber de quem foi a inteligência ao aprovar uma tal tomada "modelo brasileiro", sendo que não existem plugues para entrar nos tais buracos. E cada adaptador custa a bagatela de dez Reais. Para quem tem vivido tudo a base de gastar 500, 10 não é nada. Mas 10 x 32...


Temos 32 pontos de tomadas pelo apê. O adaptador é um trombolho. Terei de apelar, algumas vezes, para o velho benjamim. De qualquer maneira, compramos alguns adaptadores, para ver como será na hora de empurrar geladeira, fogão, freezer, tevês... será que conseguiremos deixar tudo esteticamente legal? Acho que não. Acredito ter de trocar TODAS AS TOMADAS. Só que neste exato momento de CAOS TOTAL NO SOLAR DOS HUMMEL, prefiro ficar com as geringonça do adaptador.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Di Cico - a surpresa do ano


Habituadíssima a comprar na Leroy Merlin, desde os tempos em que vivemos na Europa, todas as vezes em que precisamos de algo para a casa, lá vamos nós à Leroy. Semana passada, comprei várias coisas para a casa nova e gastei um valor relativamente alto, para as coisas bobas que comprei.


Eis que hoje precisávamos comprar coisas caras: aquecedor, duchas, fiações e mais vários detalhes. Meu marido sugeriu que fossemos à Di Cico. Fui contrariada. Nunca entrei em uma loja da Rede, tampouco pretendia entrar. E para a minha surpresa...


Chegamos lá e fomos excepcionalmente bem atendidos. Há um número muito grande de vendedores, diferente da Leroy. Não há vendedores "temáticos". Todos são especialistas em tudo: atender o cliente MUITO BEM.


Ao entrar na loja, o cliente tem a opção de "pegar" um vendedor, identificado de colete verde, para que este funcionário o auxilie por toda a compra. Como não "pegamos" o nosso, fomos pedindo informação ao longo das quase três horas que passamos na loja e sempre com atendimento a contento.


Agora o fator principal: PREÇO. Quase me rasguei toda de raiva. Tudo que comprei há exatos oito dias na Leroy, custava METADE. Não é figura de linguagem não. É realidade. METADE.


Tem vezes que temos de deixar a tradição e o hábito de lado. Matar o conservadorismo que existe dentro de nós e experimentar. Com o meu experimento de hoje, poupei o dinheiro suficiente para fazer a parte de vidro da mesa do meu futuro escritório. Estou só alegria!!!!


Vale deixar aqui uma dica: a loja da Marginal Tietê, denominada Di Cico Limão, tem preços diferenciados das outras unidades da Rede. Por quê? A concorrência local é muito grande e há um documento registrado em cartório que garante ao cliente o menor preço por parte da Di Cico.


Di Cico Limão: EU RECOMENDO!


Ursula Hummel

Retrospectiva Úrsula 2009 - Fevereiro


As férias se acabaram. Ufa. Que bom. Agora é correr para o abraço. Grandes espectativas:


- A Cyrela agendará a vistoria definitiva do imóvel ainda este mês; aguardaremos ansiosos;


- As aulas voltaram e a Uniban mudou de novo algumas coisas; cobaia. É meu sétimo ano na Uniban, entre os dois cursos e, mais uma vez, cobaia...


Espero que o carnaval passe rápido. É preciso que o país comece a funcionar e por aqui, só depois das festas!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Retrospectiva Úrsula 2009 - Janeiro


- Nosso início de ano foi como os três anteriores: nossa família, eu, marido e filhos, reunidos em casa, planejando o ano novo;


- Passamos férias em Sãosebá e Ilhabelíssima; filhote, finalmente, perdeu o medo da água. Em partes;


- Entramos pela primeira vez na obra do nosso futuro lar;


- Marido na expectativa: início do TCC e, em breve, adeus FGV e mais um sonho realizado;


- Euzinha, superhipermegademais ansiosa. Terminarei a faculdade. E depois? Seguirei a planejada carreira solo como Tradutora e Intérprete?

Ameba? Eu?


Se é uma coisa que ODEIO em mim, é minha preguiça em aprender algumas coisas do mundo moderno. Amo ler blogs e fico fascinada com cada template que vejo. E sempre quero um bem bonitinho, mas como corro o risco de perder tudo, me limito aos oferecidos pelo Google. A minha tristeza ficou por conta de um acidente que causei ontem... mandei para o espaço meu contador de visitas e meu irmão está tentando resgatá-lo... será que ele vai conseguir? Duvido... mas manterei a chama da esperança acesa!

A conquista do sonho


Hoje completa oito dias que pegamos as chaves do novo apê. E nestes oito dias, tenho trabalhado igual camelo. Camelo trabalha mesmo?

- Após pegar as chaves, contratei o caminhão de mudança e na última segunda-feira, nos mudamos;
- Consegui reservar um apartamento em um flat, com sacrifício, pois tudo estava lotado. Mas garanti o banho, o sono e as refeições da família, sem poeira de construção;
- Pisos comprados e entregues - segunda-feira instala

- Eletricista sem mais quase nada a fazer

- Closet pronto, quarto das crianças também; amanhã montam o escritório, o roupeiro do corredor e meu quarto

- A pia da cozinha foi cortada para a adaptação do fogão; serviço de marmoraria zerado e azulejista idem;

- Chaveiro já trocou os segredos das portas e instalou chaves tetras nas entradas social e serviço;

- Box comprado, instala amanhã cedo;

- Esquadria da lavanderia para a próxima semana;

- Aquecedor de água e duchas: segunda-feira

- Cama king size (a que alguns vendedores me disseram ser impossível conseguir ainda este ano): está no apartamento há cinco dias.

Ufa...amanhã tem mais. Preciso comprar a coifa, acessórios para os quatro banheiros, ainda não escolhi os puxadores de nenhum canto da casa. E quando terminarmos de pagar esta primeira leva, vou para os móveis (que na verdade é só sofá e poltronas). O importante é que quitamos nosso apartamento e, como pretendíamos desde o início, saimos de um imóvel nosso, sem dívidas, para um outro na mesma situação. Os móveis são detalhes!


Obrigada, Papai do Céu, por não me deixar esmorecer durante toda batalha que a vida sempre trava comigo. Neste interim, conclui minha Licenciatura, fiquei sem empregada em semana de provas, consegui passar todos os meus alunos de ano, não por nota, mas por conhecimento, meus filhos estão saudáveis e o casamento está melhor que nunca. Só tenho a agradecer, ontem, hoje e sempre. Amém.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Hora de inovar


A vida está toda nova. Casa nova, tudo novo. Blog novo, layout novo (infelizmente, não sei colocar algum template legal, tenho de usar os disponíveis na plataforma do Google). O marido é o mesmo, mas o amor se renova. Muitas pessoas novas surgindo em minha vida. Engraçado, parece que Deus se encarrega de varrer o lixo de nossas vidas e trazer tudo de bom. Obrigada, Senhor, por tantas conquistas e vitórias! Agora, quero inovar, quero renovar, quero recomeçar, sem, porém, deixar para trás aquilo que foi iniciado. Mas agora com outro escopo, uma nova roupagem. É 2010 que vem para arrebentar!

Saudades do meu blog...

Estou cada vez mais com assuntos acumulados na cachola. E cada dia mais sem tempo de postar algo.

Estamos vivendo um período turbulento, de mudanças e transformações. Sabemos, que ao final, tudo vai dar certo. Mas até que tudo esteja certo, demora, e muito.

Para não transformar o meu blog em um blog de um assunto único, acabei de criar o http://www.apiceoupurgatorio.blogspot.com/. É neste novo blog que narrarei todas as peripécias e aventuras da família Hummel, desde o dia em que tivemos a infeliz idéia de comprar um imóvel da Cyrela.

Um grande abraço à todos que, ansiosamente, aguardam por notícias! Em breve, voltarei com força total.

Úrsula Hummel