sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Sobre o pai dos meus filhos

Tenho bem no meu íntimo, convicções de que muitas mulheres, ao conhecerem um homem e darem início à uma relação, pensam sempre em como aquele homem será como pai. Não passei por isto, já que você chegou às nossas vidas, quando uma família já estava pronta. Incompleta? Talvez. Infeliz? Jamais. Mas faltava você.
 
 
Lembro-me de você falando com tanto carinho da minha filha, sem ao menos me conhecer. E quando você me conheceu, veio um pacote, a família que faltava pra completar sua vida.
 
 
Lembro-me da primeira vez que ela te chamou de papai. E apesar de ter um genitor, você foi o primeiro homem que ela conheceu como pai. E assim, passou a chama-lo de papai Bimbo.
 
 
Lembro-me de nós três morando no Chile. O seu trabalho diário de infinitas horas e ela ali, na janela do flat, espiando você trabalhar. Comia toda a comida para ficar forte e ganhar na luta quando você chegasse do trabalho.
 
 
Lembro-me quando questionei a sexualidade dela, pelo fato de ela só brincar de carrinho, e você me repreendeu. Disse que a orientação sexual dela jamais influenciaria no nosso amor por ela.
 
 
Lembro-me que ela jamais dormia sem você chegar. Missão totalmente impossível. E você sempre a protegendo.
 
 
Lembro-me de quando você me disse que não aguentaria toda a pressão que estava sofrendo, se não tivesse a ela para sorrir quando chegava em casa ao final do dia. Tão forte esta lembrança, quanto a do dia e que ele perguntou o motivo pelo qual você não a chamava de "filha", como eu. E ela tinha só três anos. E desde aquele dia, você só pronuncia o nome dela quando está bravo. Coisa que com ela é fácil acontecer, mas é preciso muito pra tirar sua paciência como pai.
 
 
Não me lembro porquê quis ter um filho com você. Mas foi um ano de muita luta e tristeza. E até aquele positivo parecia mentira.
 
 
Então, o que eu pensei que seria um conto de fadas, foi um grande pesadelo. Sonhei que você fosse pai daquele bebê da barriga desde o primeiro dia. Mas você não foi. Mais uma vez, fui mãe solteira durante 34 semanas.
 
 
Contudo, lembro-me do dia em que ele nasceu. Eu deixei de existir naquele momento. Porque seu amor por ele foi tão grande, que tudo ficou para trás. Você trocou, amamentou, limpou, brincou, passou noites acordados, levou-o para que eu amamentasse. E passou a ser um pavão.

Você cresceu cada vez mais no papel de pai. Foi pra justiça e brigou por ela só para você. Foi de uma hombridade nunca vista por mim antes. Mas acima de tudo, foi pai.

E assim tem sido nestes quase doze anos em que estamos juntos. Ela com treze,  ele com sete, e você como pai por quase vinte anos.

Você é o homem que não poderia passar por esta vida sem ser pai. Não imagina a vida sem seus filhos. Ama-os de modo incondicional, além do que já vi qualquer pai amar. Perdoa tudo, supera tudo, sabe lidar com maestria nas situações inimagináveis.

Não poderia ser diferente. Você dá aos teus filhos o amor de pai que você gostaria de ter tido. É amigo deles do modo que gostaria de ter tido um amigo. Vive e luta por eles muito além de qualquer necessidade material que filhos possam ter.

Fico olhando, admirando tudo, como uma expectadora na plateia, na estreia de uma grande peça. Todos os dias, um peça nova. A mais linda peça exibida: a peça da vida!

Sou grata ao Universo por ter nos juntado de novo. Porque em cada gesto dela, não há dúvidas de que ela é sua filha. Hoje, ontem. Amanhã, quem sabe? Ele? Te ama tanto, que sente falta de ar de emoção quando ouve o portão da garagem subindo. Conta os dias para chegar o final de semana, para estar ao seu lado.

Se o mundo fosse feito de mais homens como você, preparados e prontos para exercer a paternidade na sua mais plena forma de existência, talvez tivéssemos um mundo melhor.

Te amo como marido, homem, namorado, amante, companheiro e amigo. E admiro todos os dias o pai que meus filhos têm.

Feliz dia dos pais. Pelos trezentos e sessenta e cinco dias que o ano dura!

5 comentários:

  1. Pandinha, eu me emocionei com seu relato....q coisa mais linda. E de fato, o sr Hummel deve ser uma pessoa e tanto por optar em amar e ser pai dos seu filhos, quer dizer, dos filhos dele ...admiro !!!!

    Lindo findi pro6 e q o domingo seja perfeito

    Beijinhos

    Ana

    ResponderExcluir
  2. Ursula, uma só palavra emocionante. Desejos bençãos a sua família, que esse amor seja eterno. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Princesa, a possibilidade de ser pai me foi dada por você e isto me faz ser eternamente grato. Sou feliz neste papel, me sinto abençoado em ter esta possibilidade, a qual vejo como um missão desta jornada. Peço a cada dia que eu possa ter as forças necessárias para poder exercer esta paternidade da melhor forma possível. Agradeço estas lembranças que aqui escreveu em seu blog, pois me fizeram recordar momentos de grandes vivências.
    Obrigado pela emoção que senti ao ler este seu texto.

    Te amo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ursula
    Levou um tempo para eu aparecer, mas antes tarde do que nunca né?! kkkkkkkk. Adorei seu blog, o jeito que vc escreve, com o coração. Realmente emocionante, como as meninas falaram no grupo. Eu tive o privilégio de ter um pai assim para meus filhos. Voltarei mais vezes, já estou te seguindo!
    Bjos.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir