domingo, 28 de julho de 2013

Sobre Severina

Severina se foi.
Todos choraram.
Lamentaram terrivelmente sua precoce partida.
E a família de Severina se dilacerou.

Uma semana sem Severina.
Todos os amigos estão na balada.
Ainda se comenta do fim trágico de Severina.
E a família de Severina sofre em casa.

Um mês e já não se ouve falar de Severina.
Ela partiu.
Não está mais aqui.
A vida segue igual.
Menos para a família de Severina.

João Cabral de Melo Neto já havia escrito sobre ela.
E a leitura é atemporal.
Todos os dias, partem Severinas.
Em todas as partidas, tudo é igual.

Óh! Severina! Descanse!
Vá em paz. Em rima, verso e prosa, descanse!
E a quem você realmente importou, a eterna dor da saudade!
 
p.s.: dedico este texto a todas as famílias que têm perdido suas Severinas,
e sentindo-se desamparadas pela vida, incrédulas com o descaso humano. Ou o acaso desumano!

2 comentários:

  1. Ursula adoro o que você escreve. Desde o dia que te vi no face - grupo: Qual o seu blog - passei a acompanhar as suas postagens. Admiro pessoas que possuem o dom da palavra e você é uma delas. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Ah já vi tantas Severinas partindo .........
    Tenha uma ótima semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir