terça-feira, 23 de julho de 2013

Sobre o exercício da paciência, o amor e o tempo


O mundo precisa de tempo. As pessoas precisam de tempo. Porque no momento em que as pessoas entenderem que o tempo é uma arma letal, darão tempo à vida!

Levantei cedo e fui pagar meus pecados na CEF. Quando cheguei à agência, 9h50, os portões do estacionamento ainda estavam fechados. O guarda estava dormindo e perdeu a hora.

Enquanto aguardava, parei o carro em uma farmácia, com o pisca alerta ligado. Meu filho disse: "mamãe, estaciona aqui e vamos logo!". Expliquei para ele que não era o correto, pois não íamos à farmácia comprar nada. Ele argumentou,,dizendomque tinham muitas vagas, mas fui firme. Os portões do banco se abriram e eu estacionei no lugar onde deveria.

Entrei na agência e fui logo colocando as chaves "na casinha" do portão bloqueador. Um senhor, que aguardava com a Smurfete (aquelas mocinhas de azul que "coordenam" a entrada na agência), gritou comigo: "ei, mocinha, fila!". Respirei e com toda a minha educação, expliquei ao senhor que só estava indo deixar um documento com a gerente e não precisava de fila. Ele retrucou, disse que a semana passada eu já tinha estado com a gerente e demorei muito, e me mandou pro fim da fila. Ainda educadamente, perguntei à Smurfete se era necessária a minha entrada na fila e ela disse que não.

O senhor então começou a retrucar com todos os outros senhores que engrossavam o cordão dos idosos da CEF. Sem a porta giratória liberada e ouvindo blablabla, expliquei ao senhor que respeito pessoas, filas e estava com uma criança sendo educada para ter bons modos e princípios. De repente, um dos velhinhos vira e fala: "eu não me estresso, ligo pro meu primo que é da Rota e mando vir uma viatura!". 

Respirei, meditei, contei até dez para não dizer para o senhor: "escuta aqui, eu sou sobrinha do Conte Lopes e baixo aqui a Rota inteira agora, seu velho loko!".

Mas energia ruim, atrai energia ruim. O banco abriu, subi, deixei o documento com a gerente, e quando já estava no andar térreo do banco, cruzo com o senhor número 1 adentrando a agência.

Ainda pensei em falar pra ele: VIU? Mas desisti.

Sai da CEF e como dia de pagar os pecados, a gente paga todos, fui em direção ao shopping, tentar cancelar uma linha de celular. Depois de três tentativas "sem sistema", hoje me avisam que o cancelamento não pode ser feito em franquias. 

ANATEL, como assim? Onde eu compro não posso devolver? Que mundo é este?

Sai ainda tentando manter a paciência, mesmo depois de ter entrado no shopping às 10h20 e o estacionamento estar lotado, mas o shopping vazio (HEI, LOJISTAS, ENQUANTO VOCÊS ESTACIONAM SEUS CARROS NO SHOPPING, O CLIENTE MUDA DE SHOPPING).

Voltando pra casa, paro no farol. Sou uma pessoa super atenta ao farol, e o bendito mal ficou verde, o cara de trás buzinou. PORRA, tá com pressa, sai mais cedo de casa.

Cheguei em casa refletindo o quanto o mundo está desprovido de gentileza, amor, bondade, e como até o senhor aposentado está sem tempo. Por quê?

5 comentários:

  1. Ow Ursula vc é das minhas, sério mesmo sem fazer propaganda enganosa, meu pavio é mais que longo, (mas não tente vê-lo curto), sou educada e dificilmente fico batendo boca com alguém, não perco meu tempo com estas coisas, procuro focar no que é bom e necessário para ser feliz, é tão bom ser lembrada como uma pessoa gentil e educada.
    Claro que as vezes em certos lugares é preciso grito mesmo para ser ouvida, eu tb estou com problemas com a OI, recebo um desconto na minha fatura todo mês no valor R$ 30,00 mas eu não tenho nada deles, quando ligo lá fica um setor me jogando para o outro, liga no sistema do fixo, liga no do celular, ja expliquei que não tenho nenhum item, até que liguei para Anatel, parece que a cobrança não vira mais neste mês, porém os meses ja pagos ninguém me falou nada até agora!

    Paciência minha amiga é a alma do negócio e da vida tb.

    Tem gente e todo tipo de gente que se acha no direito, só por estar gravida, velho etc...as coisas não são bem assim.

    Ai sim em sobrinha de Conte Lopes ai que meda rsrsrs

    belo post

    Bjs

    Gélia

    ResponderExcluir
  2. Tem dias que olhaaaaaaaaa...!!! Que bom que passou e que vc conseguiu resistir à tentação de bater num!! Bj!!

    ResponderExcluir
  3. Acho ótimo quando as pessoas conseguem contar seu cotidiano, mesmo (ou principalmente) quando ele não foi bom. Tenho dificuldade em guardar o que me acontece, para contar depois. Há tanto para se ver e ouvir, que dá mesmo um bom post, como esse.
    Acho que escrever te acalma, viu, Ursula?
    Muitas vezes me pego querendo contar algo que me aconteceu, mas acho que pode nãos er tão interessante para outras pessoas. mas sempre gosto de ler o que contam, serve de alerta para mim.
    Tomara que agora você já esteja mais calma.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Respire fundo!!!
    E vamos caminhar com fé, determinação,amor e muita paciência...
    Beijinhos
    http://meusamoresvariedades.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Pense na paciência em seu próprio benefício. E resista sempre...risos.

    ResponderExcluir