terça-feira, 19 de abril de 2011

Por que estou sumida?

Estou sumida por estar tentando me encontrar. E quando entramos em um processo de busca, acabamos encontrando mais coisas que procurávamos. É aí que mora o perigo da terapia. Só que meus encontros não são apenas pessoais. Estou reencontrando o mundo. E nele me revolto cada vez mais.

Vivemos em um mundo desprovido de valores. Por várias vezes, arrependo-me de ter posto filhos neste. Pessoas são fúteis, preocupadas cada vez mais com o seu eu. Será que isto traz felicidade?

Não consigo enxergar felicidade em tirar vantagem do próximo. Não consigo entender mais o trânsito caótico e cada um pensando em si. Carros estacionados nas vagas de idosos e deficientes físicos. Pessoas furando fila. Consumindo pirataria. Burlando fiscalização.

Todo mês de abril é a mesma coisa. Revolto-me com o lixo que é o país em que vivo, no qual só pago, só tenho obrigações e nenhum dos meus direitos são cumpridos. 

Revolto-me ainda mais ao ler o blog de um jornalista brasileiro que abandonou tudo: estabilidade de emprego na maior empresa de telecomunicações da América Latina, outro emprego em uma emissora pouco menor, família, amigos e foi encontrar a paz do outro lado do planeta. Por acaso, este cara especificamente é meu irmão. Contudo, há várias outras histórias, como a dele, mundo afora. E quando acordo e me deparo com um texto destes, questiono-me mais ainda: o que o Brasil oferece para nós?

Sem querer abusar da metalinguagem, mas já abusando, encontro ainda este texto. Outro jornalista brasileiro, que saiu e foi embora. Só que este voltou. E encontrou a realidade brasileira na volta. Com a experiência de que existem lugares decentes para se viver, a revolta se torna ainda maior.

E já que estou abusada, trago outra amiga jornalista. Uma pessoa inteligente ao extremo. Sua inteligência, contudo, empata com sua humildade. Não é o que estou acostumada a ver. Pessoas muito cultas e muito inteligentes tendem a ser arrogantes, a se acharem melhor que as outras. Esta minha amiga é especial, pois sua simplicidade serve de exemplo para muita gente. E dentro desta sua humildade, conversávamos no chão da minha sala sobre a educação dos nossos filhos. Sobre a falta de uma escola que eduque nossos filhos de modo que eles possam competir com o mundo lá fora, um mundo que não é este Brasil. Nossa conversa daquele dia me deixou reflexão para vários outros. Será que existe aqui o que estamos buscando?

O povo brasileiro é um povo politicamente engajado. Engajado em denegrir a imagem da Arezzo, que usou pele de animais para criar 300 peças da sua nova coleção. Pagou seus impostos e fez tudo dentro da legalidade. Porque as pessoas preferem comprar peles de animais de maneira ilegal. As pessoas sentem-se felizes em usar "fakes" de bolsas Louis Vuitton. Dá status. É glamouroso. As pessoas sentem-se felizes em ter, pouco preocupando-se com o ser.

Gosto de coisas boas. Um bom restaurante, uma boa viagem, um bom carro, um bom lugar pra morar. Quem não gosta? Só que as coisas são boas para mim, não para mostrar status para meu vizinho. Não para levantar bandeira do ecologicamente correto. 

Minha parte para o mundo eu estou deixando. Chamam-se Isabela e Leonardo, e por mais que achem que eu seja rígida demais na criação do meu legado, é assim que vai ser. Ensinarei a estes dois seres que pessoas são mais importantes que coisas, sempre. Que coisas vão embora e que pessoas ficam. Que fidelidade e lealdade são riquezas mais valiosas que o dinheiro. Que por mais injustas que sejam as leis, elas precisam ser cumpridas, para que possamos acordar todos os dias e sair de casa com a cabeça erguida. E que felicidade não precisa ser dita; quando ela existe, está estampada dentro de nós que transparece num olhar.

Infelizmente, não é possível entrar no mundo de Poliana. Pois se fosse, com certeza lá seria o melhor dos mundos para mim. Entretanto, continuarei lutando e tentando. Se eu conseguir fazer bem feito este meu árduo trabalho de mãe, e transformar duas pessoinhas em seres de bem, terei feito algo grandioso.

Uma Feliz Páscoa para todos. Que este momento da Ressurreição de Cristo sirva para que cada um possa refletir na sua responsabilidade com este mundo tão grande. Pois independente do Deus que existe para cada um, ou até mesmo para aqueles que Deus não existe, temos um compromisso com um futuro. E que ele seja bom para se viver em qualquer cantinho deste mundão.

5 comentários:

  1. Bora revoltar, gorducha! Vc falou bem... até pode brigar contra a pele de animal... mas, que tal brigar pra salvar a nossa própria pele tb, né?
    Feliz Natal!!
    bjoca

    ResponderExcluir
  2. Amei esse post!
    Tenho refletido muito sobre tudo o que vc comentou.
    Eu até fiz um post no meu blog agora. Vc me inspirou. Mas to tão cansada que não consegui dizer tudo. Mas vc já disse tudo. Isso me deixa realizada!
    Não vamos perder a fé em um mundo melhor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oii,Pandinha. Saudades do seus posts. Eu tb estou na mesma, tentando sempre me encontrar haha. Arranjando desculpas para ter filho, para voltar a trabalhar de vez e enqto isso eu me escondo atras dos meus livros. Eu sei que o Brasil eh complicado, mas ao mesmo tempo eu estou sempre em cima do muro, olhando pra frente e pra tras, comparando minhas amizades, achievements e assim vai..
    No fim das contas eu penso o que seria da vida se tudo fosse facil e eu tivesse resposta e solucao pra tudo.. mas o importante eh nao deixar a peteca cair!!
    Feliz pascoa!!!

    ResponderExcluir
  4. Querida, cada vez te admiro mais. E penso também que tenho feito minha parte com minhas crias... mas agora já está chegando na vez de eles fazerem suas escolhas "sérias" na vida... Dá um medo mortal!

    Bjoo

    ResponderExcluir
  5. Ai Ai... como diz a minha sogra: quando conhecemos o primeiro mundo, vemos o lixo em que vivemos...

    É flórida minha amiga.

    E sua saude ursinha, como anda? Os tratamentos estão surtindo resultados? estou preocupada contigo.

    Semana que vem estou em sampa tá. Te aviso.

    Beijos

    ResponderExcluir