sábado, 4 de dezembro de 2010

Preguiça de Natal

Mais um mês de dezembro que chega e com ele, a invasão da minha caixa de mensagens eletrônicas, minha caixa de correspondências, e pra piorar, tem a tevê, tudo com muita propaganda para o consumo.

Detesto algumas obrigações. Não gosto de presentear alguém por obrigação. Dou-me ao direito de dar presente quando quero e não tenho o menor problema em chegar a um aniversário sem nenhum pacote. Presentes servem para marcar nossa presença para a pessoa, e não para agradar aos olhos na entrada da festa.

Também me irrita as ceias fartas só porque é Natal. Ei, que tal pensarmos em fazer o bem para as pessoas e ajudar a quem precisa o ano inteiro, sem hipocrisia em um único dia apenas?

Outra coisa que detesto nesta época do ano: caixinhas de Natal. Recebi ontem um email da Diretora-Chefe da Mansão dos Montoza que veio de encontro aos meus pensamentos matinais. Sai para trabalhar e lá estava no elevador um pedido de caixinha para os funcionários do condomínio. Sei que são pessoas que ganham menos que eu, menos que meu marido, mas que ganham - como nós - seus salários, benefícios e 13o. Para que a caixinha?

Sinto-me pressionada com essa história de caixinha de Natal. Minha mãe sempre dava caixinha para o lixeiro. Achava justo devido à insalubridade do trabalho. Eu não dou caixinha pra ninguém. Nem panetone. Nem nada. E não é pão-durismo não; estou apenas exercendo meu direito de não ter que ficar bajulando ninguém. Cada um recebe pela profissão que conquistou e pelo trabalho que nela exerce. 

Por último, mas não menos importante, também não gosto da obrigatoriedade de presentear professores ao final do ano letivo. E falo como professora. Não espero nada de ninguém, pois não estava nas cláusulas contratuais de trabalho, que eu ganharia presente dos alunos ao término das aulas.

Mas já que tantas pessoas querem receber caixinha de Natal, e tantas outras me criticarão por minhas opiniões aqui emitidas, vou começar a pedir caixinha por e-mail recebido e respondido. Garanto que entrarei em 2011 com os bolsos cheinhos de dindin!

6 comentários:

  1. Aqui não tem isso tão descarado como é no Brasil, ainda bem!

    ResponderExcluir
  2. Só por garantia, não vou mais te mandar email nenhum. Tb não gosto de caixinha...
    bjo

    ResponderExcluir
  3. Esse lance de caixinha, como dizemos em Brasília, é mesmo "o Ó!".

    ResponderExcluir
  4. Eu também não gosto de fazer nada por obrigação...gosto de comprar presente para quem eu gosto, mas dar por obrigação para quem não gosto, é dureza...
    A caixinha eu sempre dava pro lixeiro...rs
    Quando estava morando em casa o guarda noturno veio cobrar 13. salário...rs, mas era opcional e ainda ouvi que tinha gente que dava...

    ResponderExcluir
  5. Quando eu morava em casa era um saco, direto vinham pedir caixinha...caixinha pro lixeiro, pro cara da prefeitura que tirou matinho da calçada...e o mais absurdo foi o guarda noturno cobrar 13. salário...rs

    Presentes eu também não gosto de dar por obrigação...

    ResponderExcluir