domingo, 5 de dezembro de 2010

Deus não me desampara porque ajudo ao próximo

Hoje era dia de renovar a carteirinha da FUNAI. Assim, fiz um favor (não sexual, suas mentes pervertidas) para o marido em troca de ele me levar até o SP Market, que fica na PQP (com relação à minha casa, que fica na outra PQP).

Lá foi a família para o outro lado do mundo, calor de rachar, crianças reclamando no carro que estávamos demorando muito pra chegar, shopping lotado, sem lugar pra estacionar às 12h30 de um domingo, praças de alimentação com gente saindo pelas tampas, não achei nada do que eu queria comprar (ou me irritei com o calor, a distância, a multidão) e voltamos para nosso Solar com as panças abastecidas apenas de um almoço. Faltou a sobremesa.

Nunca senti tanta sede como hoje. Até o ar-condicionado do carro me fazia sentir mais sede, mas a vontade de chegar logo em casa fez com que eu nem quisesse parar no caminho para abastecer a parte líquida do meu estômago (que ainda tem a parte sólida doce e a sólida salgada).

Chegamos em casa, engoli uma garrafa de 1,5l de água (no gargalo) e comecei a pensar na sobremesa.

Minha amiga/vizinha Rita me ensinou um truque: só há um jeito de não comer doces - não os tendo em casa. E segui a risca. Minha amiga/vizinha Helô me ensinou outro: nunca compre um bolo inteiro. Se tiver vontade de comer, vá até a doceria e coma apenas UM PEDAÇO. Segui o conselho.

Acontece que não posso nutrir apenas 2/3 das minhas necessidades estomacais, deixando o estômago - parte doce - desamparado. A larica de doce é tão grande que tenho vontade de tocar a campainha dos vizinhos (em especial da Rita e da Helô) para pedir doces. Aliás, outro dia almoçamos na casa da amiga/vizinha Andréa. Não sei porque tinha tanta sobremesa naquele dia (sei sim, foi porque uma metade dos convidados ama doces, e a outra metade também; incluindo os anfitriões, tinha muito doce). Ao fim do almoço, com o exagero de doces que sobrou, começou a guerra de quem ia levar o que pra sua casa. E eu, fina que sou, e seguindo o conselho das minhas amigas/vizinhas, não trouxe nada pra casa. A noite, a larica bateu. Desesperadamente. Tomei um Rivotril pra dormir e esquecer o doce.

Mas hoje... nem Rivotril, nem Diazepam, nada tirava minha fome alucinante de doce. Marido Toruboi, anjo santo que é, ofereceu-se para comprar algo na padaria da frente de casa. Neguei - lá só tem coisas ruins. Então ofereceu-se para ir até outra padaria. Também não quis. Sabe por quê? Simplesmente porque não sabia o que queria comer. Saco.

Comi meio pacote de bolacha passatempo, barra de cereais, rosquinhas de milho e nada da larica passar. Toruboi dormiu e eu aqui acordada. Resolvi procurar algo no freezer (lembrem-se: PREGUIÇA E GULA), no afã de encontrar um pote de Haggen Dazz vazio para eu cheirar e fingir que estava comendo. Eis que encontro uma caixa inteira, lacrada, cheinha de petit gatteau do Bassi, que em apenas 15 segundos no microondas estão prontos para serem devorados por uma panda faminta.

Comi. E agora estou aqui, nem um pouco arrependida, e após escovar meus dentinhos, vou dormir feliz para sempre (não sei antes rezar e pagar a penitência pela gula, mas considerando que contribui com a FUNAI em época de Natal). FIM

6 comentários:

  1. Ih, eu também tenho essa fissura por doce, mas com um agravante: Se não comer eu piro; se comer fico com enxaqueca. Como lidar???? Fazendo uma doação pro GreenPeace?

    ResponderExcluir
  2. Que nada Bel, vem pra Sampa passar um mês comigo q vc ganha entrada VIP para o céu, em camarote com ofurô e hidromassagem!

    ResponderExcluir
  3. Eu sou formiga assumida. Tb já tentei a técnica de não manter doces em casa, mas depois da janta acabo sempre apelando pro marido que tem q sair a procura da minha sobremesa.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. uahuahuauahua....
    Adooooorei!
    Menina, suas vizinhas estao mais q certas! Mas tem dia q é foda mesmo...a gente praticamente urra por um misero chocolate Bis, sei la. Q seja! rs
    Dai quem come um quer mais, ferrou de vez!
    Tem dias q no meu caso nem Dorminid salva! rs....eu preciso de um doce mesmo e saio a caça, como um javali faminto! E nessa brincadeira, alguns quilos adquiro na balança mas a felicidade de me ver atracada num chocolate ou pedaço de bolo (do amor aos pedaços de preferencia..rs) é maior, e eu me sinto a mulher mais realizada do universo...kkkk
    (sexo pra q? abafa!)
    E a vida segue....uahuahuaha

    Não se culpe pelos petit gateaus..e sim por falar disso, a essa hora pra MIM....rs...saco! Onde eu compro um desse pra comer tb???? rsrs

    Bjooos

    ResponderExcluir
  5. Ni, eu fico com dó de deixar marido sair...

    Than, não dá pra levar petit gateau pra vc na maternidade, mas quem sabe rola um cupcake (que não pode ser de chocolate!). Enquanto isso, aproveita q vc não está amamentando e pede pro marido comprar em qq Pão de Açúcar (olha o jabá...rs)

    ResponderExcluir
  6. hummm vonmtade de doce não tem o que tire!
    adoro doce
    mais do que salgado.

    ResponderExcluir