sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Sonhos


Adoro sonhos, principalmente os de padaria. Comidas a parte, acredito que as pessoas que não sonham acabam levando a vida muito a ferro e fogo, e quando percebem, a vida passou e nada aconteceu.

Tem gente que sonha coisas intangíveis. Meus sonhos são mais concretos. Não fico sonhando em ganhar na loteria, até porque nunca jogo. Como sou cheia de contradições, sonho também com um mundo melhor.

Uma das coisas que mais me incomoda na vida são pessoas. Na minha utopia, no meu momento "tudo que quero é intangível e não está ao meu alcance", sonho com um mundo de pessoas boas, onde ninguém vai querer tirar vantagem sobre ninguém, onde todos estarão sempre prontos para ajudar ao próximo, e perceberão que o bem estar de uma humanidade é o nosso próprio bem estar.

Delírio total? Concordo. Vivemos em um mundo totalmente capitalista e a busca desenfreada pelo dinheiro faz com que pessoas atropelem pessoas. Faz com que não exista mais a singularidade de um sentimento tão bom: o amor!

Eu amo imensamente. Apesar de ser traída por pessoas durante toda uma vida, apesar de estar sempre ressabiada com as segundas intenções que existem por detrás de todo alguém, mesmo assim, eu amo intensamente.

O amor é algo puro e sublime, é o sentimento mais profundo e mais singular que temos. Para amar, basta amar. E o amor não se escolhe, já que nosso coração é quem manda.

Amo muitas pessoas, amo muitos lugares, amo muitas coisas. Pode parecer materialismo se referir ao amor ligado às coisas. Mas amo minha cama, amo um computador conectado na internet, amo o conforto que o trio geladeira/microondas/máquina de lavar roupas me proporciona. E daí? Todo tipo de amor é possível. Todo tipo de amor vale a pena. Mesmo que seja tudo um grande sonho...

Um comentário:

  1. Huuummm... os de padaria são definitivamente os melhores. Tô comendo quase todo dia. E amo muito....

    ResponderExcluir