sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A difícil tarefa de ser mãe em tempos de aniversário dos filhos

Em pleno mundo capitalista (essa palavra tem me perseguido insistentemente), as festas de aniversário deixaram há muito de ser um momento em que as pessoas se reúnem para celebrar mais um ano de vida do aniversariante.

Hoje, mãe precisam ser verdadeiras banqueteiras profissionais para conseguirem dar conta do recado: convite personalizado, tema da festa, decoração, a festa da escola (que geralmente é OUTRO tema), e o mais complicado - a lembrancinha.

Conversando com o marido Toruboi, relembramos os bons tempos de infância, quando a mãe assava um bolo e cobria com leite condensado cozido, a tia fazia brigadeiro, a outra tia cozinhava uma carne louca ou sanduíche de pão de forma com sardinha em lata e virava uma grande festa. Vinham os tios e os avós para comer e trazer os presentes. Quem tinha lembrancinha era gente rica: saquinhos de plástico cheios de cacarecos de plástico que iam para o lixo antes da primeira faxina. Mas faziam as crianças felizes.

Quando a Bibizoca fez um ano, o buffet oferecia um despertador com a foto dela. Incluído no preço. O segundo aniversário foi no salão do condomínio. Tive a infelicidade de aceitar a idéia da pão dura da minha chefe, que disse que ficaria tudo muito mais barato. Contratei a decoração da mesa de uma empresa, a filmagem de outra, tive que arrumar garçom para servir, minha mãe fez o bolo, encomendei os doces de uma doceria, os salgados vieram de outra fonte e no dia da festa foi uma loucura, pois tive que fiscalizar todo o serviço e fazer as vezes de "gerente de festa", morrendo de medo de perder um dos tantos envelopes com cheque que eu carregava. Saldo final: gastei mais que o aniversário de um ano. Mas a lembrancinha.... ah, essa fiz questão de eu mesma fazer. Confeccionei velinhas perfumadas em formato de coração, todas delicadamente colocadas em uma caixinha de acrílico cujo fecho se transformava em uma borboleta.

Muitos anos se passaram, muitas idéias eu tive, e ano passado a festa foi do Mágico de Oz. Mandei fazer caixinhas com a foto das crianças, a Bibizoca vestida de Dorothy e o Peteleco de Mágico. Dentro, enchi de docinhos, mas o toque peculiar ficou por conta do livro, que encomendei e montei dentro da caixinha, com a história do Mágico de Oz. Eis que ainda estou com a magia do ano passado na cabeça e lá vem as criancinhas Hummel fazer aniversário de novo.

Já tinha decidido que este ano eles teriam aniversários separados. Mas a logística (ok, mas os custos) me fizeram mudar de idéia. Como deixei tudo para última hora (pois hoje temos que reservar buffet com seis meses de antecedência, NO MÍNIMO), dancei. Solução: fazer a festa no condomínio. Hoje já existem empresas que fazem todo o serviço em domicílio, trazendo decoração, filmagem, garçons, comida, recreadores e até locação de brinquedos. E o custo? Bom, o custo é algo em torno de muitos dinheiros que fazem doer o bolso de qualquer um. Mas VALE A PENA só por ver a cara das pestinhas tão felizes!

Então, qual é o problema? O problema é a lembrancinha. Acho um saco que o maldito capitalismo tenha feito com que hoje em dia, as lembrancinhas que as crianças recebem nos aniversários, muitas vezes, custam mais dinheiro que o presente oferecido ao aniversariante. Como assim? Pois é... é assim e ponto. Problema é que www.eunaotenhodinheirosobrando.com.br. E não posso convidar 30 crianças para cada filho e gastar dez dinheiros por lembrancinha.

Das duas uma: ou eu superpovoei o mundo quando resolvi ter dois filhos, ou o mundo está fora da realidade com as tradições e preços praticados. Faça sua escolha!

4 comentários:

  1. ola Ursula (Pandinha)

    sou uma ex-funcionada da empresa Mondex.

    Sei que vcs conseguiram tirar essa empresinha vagabunda do Apice santana, mas acredito que tenho muitas coisas a contar para voce, caso se interesse.

    Os condominios administrados pela Mondex e BRC são roubados todos os meses.

    tem algum email onde podemos trocar mensagens sobre isso?


    aguardo sua resposta...

    ResponderExcluir
  2. Não tinha noção que era tanto "trampo" assim! O Samuca faz 6 meses dia 16 e acho que já vou começar a planejar o aniversário de um ano dele desde já! Ufa... já tô cansada!

    ResponderExcluir
  3. Olha Pandinha eu sigo um blog de noiva de uma amiga que mora aí e eu parei de ler pq eu comecei a surtar por causa de tantos detalhes para uma festa, mas ao mesmo tempo parece que as festas no brasil são feitas com mais carinho, mais atenção, dedicação, stress etc..As festas de criança aki são só pra criança, e bem um bolo comprado, um pacotes de doces tipo chocolate normal enfeitando a mesa e para a familia é só chá com sopa haha. Eu fui em uma e passei fome pq eu pensei que iria me esbaldar igual no Brasil.O dia q eu tiver meus filhos aki eu vou querer fazer os brigadeiros, docinhos e vou ficar mtu feliz em comer sozinha já que eu já fiz, ofereci e ninguem curtiu! Eu não casei no Brasil e até hj meus amigos estão esperando uma festa. Só em pensar já dói o bolso.É incrível como o brasil se tornou um país tão caro. bjuss bom findi (+ uma palavra pro nosso dicionário haha)

    ResponderExcluir
  4. ursula, eu fazia mega festas para os meus meninos.
    eu fazia os convites a mão, contartava buffet, alugava salao, comprava roupa para os 4, ía entregar os convites...fazia as lembrancinhas... tirava as fotos, recebia, coordenava a festa.
    as criancs brincavam e aproveitavam....marido sentava numa mesa e conversava a noite toda e eu acabava o dia um trapo de chao.
    ns ultimos anos eu nao tenho fito fests
    os motivos sao os mais variados: falta de espaco, de tempo, de dinheiro, que o aniversariante tá mal na escola e nao merece...
    amanha meu mais velho fz 18!

    e eu queria pelomenos ter mudado pra casa nova.
    bjs
    lilly
    coisa de lilly
    e
    blog da reforma

    ResponderExcluir