quarta-feira, 9 de junho de 2010

Uma história triste com a chance de um final feliz

Dois anos atrás (quase), primeiro sábado do mês de agosto (ou segundo?), estava indo para uma festa infantil, quando resolvo ler o blog do meu irmão antes de sair. E a festa não foi mais a mesma. O post daquele dia começava de forma um pouco engraçada, mas o meio e o fim da história me fizeram desabar.
Nestes dois anos, muitas coisas aconteceram. A Aline passou de uma estudante/quase adolescente, para uma mulher. De uma pessoa alegre e brincalhona, para uma mulher que luta apenas pelo direito de continuar vivendo de forma digna, já que a imprudência de alguém lhe tirou a chance de andar.
Desde o acidente, meu irmão e minha cunhadinha (calma Ká, sem ciúme, ok?) têm feito matérias, reportagens, e o melhor, estreiam hoje no cinema, com um curta sobre a história da Aline.
Infelizmente, não estamos na Irlanda para prestigiar. Vale, porém, a boa intenção e a grande vibração para que as duas sessões lotem, para que a história da Aline seja divulgada aos quatro cantos através da sétima arte, e mais ainda, para que tomemos consciência de que, como disse três dias atrás, a linha entre a vida e a morte é muito tênue!
Para quem se interessar mais, basta colocar o nome "Aline Barros" no buscador do Google lá no Madruga em Claro, que há instruções de como ajudar a Aline.

4 comentários:

  1. Hahahahaha
    ok, sem ciumes !
    afinal sou cunhadinha também oras, rosinha é seu irmão !

    Muito legal a japinha e o seu irmão estarem tão engajados nessa causa, que tudo tenha um final feliz !

    ResponderExcluir
  2. Não sei bem o que escrever. Só sei que com esse sorriso e essa vontade de viver, com certeza, ela enfrentar esse problema bem melhor do que se fosse comigo...

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Arrecadamos quase mil euros em doações na estréia do vídeo. Valeu!!

    ResponderExcluir