domingo, 13 de junho de 2010

Sobre travesseiros, bidês e roer unhas

Eu tinha três assuntos pra comentar, então vou tentar falar sobre todos em um único texto. Começando pelos travesseiros:

Desde que nos mudamos para o Solar, seis meses atrás, comecei a ter problemas para dormir, mais do que eu já tinha. Trocamos a nossa cama, e como a cama nova é tamanho king, comprei também travesseiros king. Começou minha saga. Não me adaptei ao travesseiro, e como em meio à mudança já tinha feito várias doações, devo ter doado meu velho e bom travesseiro no meio do caminho. Comprei então o tal travesseiro da NASA, e continuei tendo dores cervicais; optei por um de plumas de ganso genuínas, mas foi em vão, a dor continuou; então comprei um travesseiro de viscolástico, e mesmo assim continuei com dor. Até que encontrei em meio aos dez travesseiros que eu já tinha algum que confortasse meu pescocinho (imagina se fosse o pescoço de girafa de um certo parente que eu tenho que mora na Irlanda, coitado!). E foi em meio às várias noites mal dormidas que pensei no bidê.

Quando era criança, todas as casas tinham bidê. Inclusive na minha, mas acho que meu irmão nem era nascido naquela época. E para que servia o bidê? Na nossa casa servia para armazenar a roupa suja, aquela que tirávamos antes de entrar no banho. Também servia para apoiar o papel higiênico quando quebrava a molinha do suporte de papel higiênico. Utilidade mesmo, aquela para qual o tal bidê foi confeccionado, nunca vi ninguém usar. Então inventaram a ducha higiênica e o bidê morreu pra sempre (eu acho). Só que pensem comigo: se o bidê servia para higienizar as partes íntimas, ou o bumbum após um alívio de número 2, como fazemos com a ducha higiênica? Usamos o vaso sanitário como apoio? E fazemos aquela lambança com água? Não sei, no outro apê tínhamos ducha higiênica e nunca usamos, preferíamos o chuveiro mesmo. E aqui não temos a ducha e nem o bidê, o jeito é tirar toda a roupa e se enfiar sob o chuveirão, velho e companheiro. E já que o papo de bidê é meio que papo de merda, me vieram as unhas.

Quem roeu unha na infância, ou mesmo já como adulto? Eu fui uma criança roedora, e não tinha como fazer meu vício cessar. Minha mãe tentou. Mergulhou meus dedos feridos pelo meu canibalismo (já que além das unhas roía também as peles ao redor do dedo) em um pote de pimenta. Deixou meus dez pobres dedinhos queimando por uma hora. Depois entrei no banho, esfreguei sem parar e o sabor da maledeta saiu. Só de raiva, comi mais unha ainda. E minha mãe, só de raiva, decidiu mergulhar meus dedos, os dez, todos juntos, de uma vez só, nas fraldas do meu irmão. As fraldas lotadas de merda, de cocô, de bosta, de número 2, de coisa gosmenta de irmão gosmento. Tive que esfregar os dedos por três dias, para voltar a colocar as mãos na boca. E de raiva, fazia questão de, quando minha mãe pedia para eu pegar algo, usar os dedos que estavam mais sujos, só para que ela sentisse o sabor doce da minha bosta de vingança. Só parei de roer unhas quando eu quis, por ocasião da minha festa de 15 anos. E nunca mais comi nem unha, nem pimenta, nem bosta, porque deito a cabeça tranquila no meu travesseiro, mesmo que não tenha dado uma sentadinha antes no bidê.

6 comentários:

  1. huahuahuhuahua
    Gorda folgada dumafiga!! Haja travesseiro pra tanto peso...

    ResponderExcluir
  2. A cabeça não pesa, pq ultimamente, ando meio CABEÇA DE VENTO...

    ResponderExcluir
  3. Úrsula, só vc pra me fazer rir hoje.
    Eu tenho a idade do Lemos e me lembro de ter um bidê em casa. E que por sinal tb servia como cesto de roupas sujas.rsrs
    Eu não era de roer as unhas, mas confesso que larguei a chupeta somente aos 8 anos... (sim, meu passado me condena.)rsrsr
    Quanto ao travesseiro, meu marido até hoje não se adaptou a nenhum dos travesseiros que temos aqui em casa. Ele sempre reclama. Agora vou ver se compro um novo pra casa nova.rsrs

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Ká, vou pegar a especificação do travesseiro e te falo, pq ele foi o único que me ajudou! E qd vcs se mudam? Manda notícias no meu email!!! Bejokas, viva os bidês e unhas roídas!

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkkkkk
    Meu Deus, qta merda num post só....kkkkkkkkkkkk
    Sobre travesseiro, marido tá nessa mesma q vc, nao encontra o par perfeito.
    Sobre bide, no nosso banheiro tem ducha higienica, nós sempre usamos. No da minha mãe tem bide, tb nunca ouvi dizer que foi usado, rsrsrs.
    Sobre roer unhas, eu tb roia qdo menina. Até hj ranco pelinhas, minha manicure AMA!
    Beijo!!!

    ResponderExcluir
  6. DaniDani, vou ver se meu travesseiro tem marca e te indico pra comprar por Ed... me ajudou MUITO!!!! Agora vamos parar de roer unhas... estamos velhinhas...rs... bejins

    ResponderExcluir