terça-feira, 22 de junho de 2010

Patriotismo

Sou repetitiva, muitas vezes, mas minhas repetições se fazem necessárias para contextualizar novos textos. Vou dizer novamente que não sou nada patriota, que para mim é indiferente o que acontece ou não no Brasil. É o país que moro, mas não é o país que escolhi para viver. É o país que nasci, mas minha mãe não ouviu meus gritos na barriga dizendo que queria nascer no Chile.

Assim, para mim, voltar para o Chile, é como se estivesse voltando para casa. Amo aquele país, aquele povo e nossos amigos influentes de lá (o chimpanzé do zoo, o ex-Presidente e a gerente do flat que vamos nos hospedar). Contudo, o que mais me chama a atenção por lá é o patriotismo do povo.

Brasileiro pode, sim, achar que é patriota; fica só no achismo, se comparado ao povo chileno. Fiquei muito impressionada ao ver a multidão de pessoas que se amontoam em praças públicas para ver a "nossa" seleção chilena entrar em campo. Aí sim, é o momento que fico arrepiada.

Nem preciso dizer que vou torcer (e vestida a carater) muito para a minha seleção no próximo jogo.

As criancinhas Hummel me perguntaram: "mamãe, se a final da Copa for entre Brasil e Chile, para quem você vai torcer?".

Aproveitei a oportunidade para ensinár-lhes o grito de guerra do meu país: CHICHICHI, LELELE, VIVA EL CHILE!!!!!!

Um comentário:

  1. As criancinhas não têm culpa de não saber que Brasil e Chile não podem mais se enfrentar na final. Mas, se vc estará do lado de lá no jogo de segunda, espero voltar aqui na terça para avacalhar sua alma chilema. Em nome de Kaká, Robinho e Luís Fabiano, Amém!

    ResponderExcluir