sexta-feira, 4 de junho de 2010

Mudança de poder aquisitivo

Sete anos atrás, quando fomos morar no Chile, fomos com uma mão atrás e a outra segurando malas. Não tínhamos onde cair vivos. Ou mortos. Despachamos nossos eletro-eletrônicos às custas da empresa que marido trabalhava e embarcamos com uma criança de três anos, sem saber sequer que marido ficaria quatro meses sem receber nenhum salário.
Chegamos lá deslumbrados. O país nos encantou muito e o dia em que o deixamos, não pudemos olhar para trás, tampouco enxergávamos nada à nossa frente, devido aos olhos marejados. Desde então, alimentamos o desejo de voltar àquele país, para por lá viver.
Em sete anos, tivemos a feliz experiência de viver lá, e a infeliz de viver em Portugal. Mas Portugal é assunto para outro post. Em sete anos trabalhammos, estudamos, poupamos, investimos e prosperamos. Sete anos atrás, quando partimos, não tínhamos mais carro, nosso pequeno apartamento de 50m² era alugado e nossos valores materiais eram distantes dos de hoje.
Por todos estes anos nos quais sonhamos com o Chile, só tínhamos em mente o quanto nosso gigante apartamento era lindo, o quanto aquele país nos fez feliz, o quanto amamos aquele povo que nos recebeu tão calorosamente. O sonho, porém, era muito distante da realidade.
Ontem a noite, estava conversando com o marido e perguntando o quanto valeria hoje um apê no nosso amado país, na nossa amada cidade, sua capital, e mais, no bairro o qual moramos, Las Condes, bairro nobre e de belas construções. Não tínhamos noção.
Iniciei uma pesquisa e descobri o quanto nossos valores mudaram realmente. Hoje moramos em um bairro da periferia da Zona Norte, como já disse anteriormente, ladeado por favelas, construções simples e muita humildade. Apesar de o condomínio ser muito bonito e, para alguns, é até "chique", o bairro é o mesmo: Lauzane Paulista. Descobri que com o valor de venda do nosso apartamento de 120m² é possível comprar dois, em bairro nobre, de 150m², naquele lugar que tanto amamos.
Agora só falta o emprego por lá!

3 comentários:

  1. Que amor pelo Chile !!!
    Eu sou doida pra levar o rosinha pra esquiar lá !
    Seu filho mais novo nasceu lá ou no Brasil?

    Well, se voc~e era tão feliz em terras nem tão distantes assim, vai fundo, sou a favor dessas maluquices de mudar tudo e começar de novo !

    ResponderExcluir
  2. Você pode até ir que eu deixo, mas se abandonar o blog eu te pego hein!!!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Gente, eu queria MUITO viver no Chile para sempre. Lá é um país tão organizado, um povo tão educado, uma polícia honesta e eficiente, cheio de trabalhos voluntários, acho que apesar da beleza, lá se vive com bem mais simplicidade! Mas não há a menor possibilidade, ao menos agora, de morarmos lá. Só pra uma visitinha. Ká, depois do Chile ficamos um ano em Purtugarrr... mas o pequeno nasceu aqui!

    Beijokitas

    ResponderExcluir