sexta-feira, 28 de maio de 2010

Simplicidade x Felicidade

Meu filho de quatro anos está doente há oito dias. Ontem acordou muito feliz, tomou leite, suco, comeu pão e só uma mãe com criança doente sabe a alegria que é ver o filho comendo após longo período de jejum. Não foi só a melhora que fez com que ele se alimentasse, mas a felicidade pelo aniversário do papai. Fomos até o distribuidor de embalagens e ele queria uma festa surpresa de futebol. Compramos pratinhos lisos e com o tema de futebol trouxemos copos, guardanapos, sacolinha surpresa, apito, chapéu, óculos e nariz de palhaço, tudo verde e amarelo. Compramos um bolo e uma vela na padaria. A alegria dele era radiante e contagiante, pulou o dia inteiro de alegria. Preparou com a irmã as sacolinhas surpresas, dispôs tudo sobre a mesa de jantar. Preparei chilli beans para comermos e o pequenino disse que precisávamos de um convidado para a festa. Vejam bem: UM CONVIDADO. Ligou para o amigo Yuri que ficou muito feliz com o convite. Jantamos na companhia do Yurinho e da Jacquerida, sua mamãe e cantamos parabéns. Os meninos correram, brincaram e se divertiram, afinal, minha vizinha Fê Papai Noel tinha baixado aqui com outra caixa de brinquedos: carros lindos, telefone novinho do Relâmpago Mcqueen, carro do Batman, uma caixa de Hot Wheels, jogo de dominó e Super Trunfo. Antes que alguém pense que a Fê é realmente Papai Noel, fica a explicação: ela está se mudando para cá e seus filhos, com 8 e 9 anos, já não brincam mais com algumas coisas. Hoje, filhotinho acordou e disse: "mamãe, a festa do papai foi muito feliz, todos os convidados se divertiram muito".
O episódio e a alegria do pequeno me remeteram à minha festa de 15 anos. Papai ficou desempregado naquele ano e a idéia de a festa acontecer ficava cada vez mais distante. Até que, em meados de maio de 1989, minha tia mais velha reuniu os outros irmãos e incubiu: um pagaria o aluguel do salão da igreja, outro daria o vestido, outro arcaria com as bebidas e para meus pais sobrariam as comidas. Meus amigos também colaboraram: um servia o exército e trouxe catorze amigos fardados para a valsa, juntamente com o Tenente, para bailar com a aniversariante. Dois amigos que tinham aparelhos para som e iluminação cuidaram da parte da animação. Foi uma festa linda, muito distante dos casamentos sem marido que vemos as meninas de 15 anos realizarem hoje. Foi uma festa simples, bonita e, acima de tudo, muito feliz.
Dinheiro traz felicidade. E muita. Só que a simplicidade da vida ainda está nas pequenas coisas. Ou nas grandes, aquelas cujo valor monetário não são mensuráveis: AMIGOS!

2 comentários:

  1. Acho que já te agradeci, mas quero contar ao mundo.
    Ursinha, foi um mega privilégio ser convidada para comemorar o niver do Milton, estava tudo delicioso como sempre.
    Nos sentimos muito importantes, obrigada pelo carinho.
    Ah!! o Yuri adorou o presente.
    Que Deus nunca nos separe.
    amo vcs, bjs

    ResponderExcluir
  2. Amiga, já te disse o quanto ficamos felizes com a presença de vcs na nossa mega festa????? rs... beijos, que Deus nunca nos separe! Lov vcs tb!

    ResponderExcluir