quarta-feira, 12 de maio de 2010

Pro inferno as feministas


Se tem alguém que andou na contra-mão do movimento abolicionista, este alguém foi Simone de Beauvoir, defensora de um movimento que, ao meu ver, é a antítese daquilo tão arduamente defendido pela Princesa Isabel. Falo do feminismo.
Não devo, porém, ignorar totalmente todas as conquistas do movimento. Vejo algumas, contudo, como imprestáveis. É o meu ponto de vista. Para que serve o sufrágio? Quantas mulheres conheço que fazem questão de votar? Eu não, tô fora! Ajudar a colocar nas urnas mais bandidos (só vejo este simpático nome para nossos políticos)? Para quê?
Ao todo foram três grandes ondas do movimento, que se espalhou mundo afora em meados do século XX. Mulheres lutando por direitos iguais aos dos homens. Só se esqueceram de abrir mão das obrigações que já lhe eram atribuídas e assim, em um total ato de burrice e insanidade, somaram suas tarefas às dos homens e ficaram sobrecarregadas.
Hoje o que vemos no cenário mundial? Mulheres que construíram suas carreiras, deixaram seus filhos por conta de empregadas despreparadas, encheram as crianças com presentes e deixaram vazios os coraçõezinhos. Na falta da empregada, que ocorre tantas vezes, precisam lavar, passar, cozinhar, administrar as contas, supervisionar lições, tarefas escolares, conciliando com reuniões nas escolas, com consultas médicas (já que o mundo moderno também criou pessoas doentes), com visitas intermináveis ao ortodontista (como era o mundo antes deles?). Tá, é exagero dizer que tantas doenças são culpas das feministas. Só uma é a elas atribuída: O ESTRESSE, QUE GERA O INFARTO, QUE GERA O FIM DE TUDO!
Deixa eu lavar roupas, pois ainda não foi declarado o fim da escravidão feminina.

6 comentários:

  1. Otimo post!

    Mas eu adoro reinvidicar direitos iguais, por ex: aqui em casa quem lava roupa, louça e faz as compras é o Leo! ;)

    ResponderExcluir
  2. Ai Mi, juro que ainda preferia o tempo que só os homens faziam compras (ODEIO IR AO MERCADO) e cuidavam de muitas coisas, nem me importaria com a louça...rs...

    ResponderExcluir
  3. URSULA, trablho a 23 anos.
    neste meio tempo casei, tie filhos que já estão na adolescencia, fui trabalhar enquanto els ardiamd e febre, vomitavam, estavam de ferias, e eu lá.
    é bom ganhar meu $$$$$$$$$$$$$$, mas eu tenho inveja de quem pdoe dar atenção pra filho.
    queria trabalhar meio periodo
    ou 6 horas.
    levo os meninos ao colegio as 7
    entro as 8
    corro o resto do dia
    saio daqui as 18
    a noite to com o saco cheioooooo

    ResponderExcluir
  4. Adoreiiii!!!
    Apesar de que o marido , no fim de semana, me ajuda com a louça, compras e etc.
    Mas o pesado fica para eu fazer durante a semana mesmo...

    ResponderExcluir
  5. Lilly, esta escravidão feminina me mata...

    Ká, que tal aproveitar que o casamento ainda é recente e colocar o marido pra trampar???

    ResponderExcluir
  6. ninguém vê o quão sofrida é a vida masculina. acompanhar todos os campeonatos de futebol, estar por dentro das marcas de cerveja, checar a qualidade dos bares...

    ResponderExcluir