terça-feira, 11 de maio de 2010

Mais um dia de mãe

No último domingo, li em vários blogs as mais lindas homenagens para as mães. Na minha casa foi mais um dia como outro qualquer. As crianças levantaram e nem se lembraram de me dar feliz dia das mães. Marido foi quem sinalizou pra filha, com a cabeça, para que ela me cumprimentasse. Para mim foi apenas mais uma data criada para inchar o comércio e criar dívidas nas contas das pessoas. Todos os dias são dias para presentearmos quem amamos, seja com algo físico, seja com um gesto ou uma atitude.
Marido voltou de Chicago agora e trouxe um videogame para a família e um DSi (portátil) para cada um dos filhos. Para que esperarmos o aniversário deles, em novembro, para presenteá-los? O presente foi ganho no mesmo dia. Ano passado não demos nenhum presente físico para eles, presenteamos os dois com uma bela festa. Eu acredito que tudo que podemos e queremos fazer por aqueles que amamos, temos que fazer hoje e agora. Amo meus filhos e meu marido e estou sempre à disposição dos três, não me canso de comprar, de bajular, de paparicar. Não sabemos o dia de amanhã.
Todos os dias somos mães e devemos ser respeitadas por nossos filhos. A amiga da minha filha pegou o folder de uma excursão que a escola de inglês das crianças fará para a Disney. Entregou à mãe e disse: está nas suas mãos realizar meu grande sonho. A mãe devolveu: também está nas suas realizar o meu. A filha indagou a mãe sobre qual seria o seu sonho, e teve como resposta: ter uma filha que me obedeça e que estude.
Qual é a mãe que não sonha com um futuro brilhante para seus filhos? Ontem me escreveu uma amiga que é advogada, e eu não sabia que ela tinha uma irmã médica. Comentei com o marido o quão orgulhosos devem ser os pais por ter duas filhas que estudaram e chegaram lá. Não é o status das profissões, mas sim o fato de terem investido junto com seus pais na coisa mais valiosa do mundo: o estudo.
Minha filha não gosta de estudar. Tem dez anos e está no sexto ano. Sofremos muito em casa com ela, que resiste aos livros didáticos enquanto mergulha em romances e aventuras de 500 páginas. Tem muito adulto que não leu metade do que ela já leu na vida dela. Incentivo tudo que posso, invisto no gosto pela leitura, mas quando o assunto é estudo, o resultado é estresse, castigo, punição. Queria que ela entendesse quantos dinheiros são investidos para que ela tenha uma boa formação, mesmo que a escola seja péssima: é a melhor, neste momento, que encontramos para ela e está anos a frente daquelas que tivemos oportunidade de estudar na nossa infância.
Hoje tive reunião na escola do meu filho. Sai de lá com o peito cheio, parecendo um peru estufado de tanto orgulho. Após explanações gerais, a professora quis conversar individualmente com cada um dos pais. Disse-me que, sem dúvidas, meu filho é o melhor aluno da sala. Queria pular, gritar, contar para todo mundo. Me contive, apesar de ter saído da escola com cara de paisagem.
Sempre tive medo de não amar meu filho. Minha vida foi construída sobre o sonho de ser mãe de menina. Quando soube no ultrassom que o segundo filho era um menino, chorei. Resisti até o dia de ele nascer. E quando ele saiu da barriga e veio para meus braços, tive a certeza de que filho não tem sexo.
Minha relação com meu filho é surreal. Tenho vontade de ficar com ele o tempo todo, pois a sagacidade e a inteligência dele me enchem de orgulho. Ele é carinhoso, esperto, inteligente... poderia inumerar dezenas de qualidade, mas neste momento tudo que tenho a dizer é que ele é simplesmente meu filho!

3 comentários:

  1. Às vezes o filho mais problemático é o que precisa de mais amor...

    ResponderExcluir
  2. Haja amor, haja amor... (Luiz Caldas - lambada)

    ResponderExcluir
  3. Pois é querida, viu como está enorme a barriga ?! rs
    Obrigada pelo carinho viu...

    beijão

    ResponderExcluir