quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vivendo a minha vida

Estou cansada, estafada e esgotada e há muito tempo venho dizendo isso. O corpo dá sinais de que é hora de parar, e antes de ele se cansar de dar sinais e resolver parar por conta própria, resolvi tomar uma atitude.
Já tinha trancado a pós, já tinha saído de um dos trabalhos, já tinha decidido não fazer nenhum freela, de tradução, de revisão, de nada. Agora decidi sair do último trabalho que me resta e virar madame.
Claro que não é bem assim. Abandonando trabalhos e estudos, ainda me restam filhos, casa e marido. Contas que vencem, problemas que acontecem e, acima de tudo, ainda resta EU.
Como resolvi colocar a casa em ordem, preciso começar pelas crianças. Infelizmente, terei de mudá-los de escola. São mais de dois mil dinheiros por mês para que minha filha tenha uma nota DOIS em inglês. Cantei a bola para a escola: a professora é ruim, despreparada e incompetente. Minha filha não tem problemas de aprendizado, mas precisa ser ensinada. Eu a preparei em língua portuguesa e ela se tornou a melhor aluna da sala. E inglês? Terei também de dar as aulas? Chega. Acho que eles mudam ainda este semestre, só preciso encontrar uma melhor alternativa, mas está tão difícil.
Agora que estou com uma boa secretária do lar, voltarei para a terapia. Pode ajudar no equilíbrio. Preciso voltar a nadar. Natação é o meu ponto de partida para conseguir o tal equilíbrio. Vou colocar as contas em débito automático e rezar para que não debitem mais do que foi consumido. Chega de cheques, eles serão rasgados, não preciso deles. Comida aqui será terceirizada. Uma lista com pré-compras e os congelados são entregues na porta de casa, debitados em cartão e o cartão debitado no banco. Acho que conseguirei me focar em coisas mais importantes: brincar com meus filhos, passear com a família, namorar o marido, viver enquanto a vida me permite. Antes que seja tarde.

5 comentários:

  1. Hoje eu tô muito emotiva, e chorei com as coisas que você escreveu.
    Me vi em alguns trechos do seu texto.
    De tudo, acho que o mais importante é ser feliz, nao importa como.
    Pense em você. Cuide de você.
    A vida passa muito rápido.
    Força hoje e sempre!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ai Ká, tem coisas que ocorrem para que possamos retomar as rédeas das nossas vidas!!! Ainda vamos rir das turbulências, tenhamos fé... beijo bem grandão

    ResponderExcluir
  3. É... cuidar da vida enquanto ela resta é sem dúvidas essencial. Tens meu apoio. Mas não quero nem saber de comida terceirizada quando eu chegar aí. Pode deixar algumas panelas no fogão...

    ResponderExcluir
  4. VEMCHA, eu quero ensinar ingles pra minha sobrinha. Como faco::

    ResponderExcluir
  5. Entaum MV... preciso descansar pra ver se reaprendo a cozinhar... afê!!!!

    VEMCHA, é desaforo nós darmos as aulas... quero só ver o que o cara de pau do coordenador vai falar 2a. feira! Depois te conto. Lov o 6 2

    ResponderExcluir