quarta-feira, 21 de abril de 2010

Vida de solteira

Não é fácil passar tantos dias sem marido. Não quando se sabe que o marido existe e está em algum lugar do mundo, trabalhando. A pior parte, para mim, é dar conta das manhas das crianças. O pequeno fica um chato de galocha, sente muito a falta do pai. Eu preciso rebolar para fazer o tempo passar. Como o cinema não anda colaborando conosco, combinamos de ir hoje a um Playland qualquer. Eles AMAM. Brincaram muito, jogaram games diversos e nem acreditei quando pediram espontaneamente para irmos embora. Acabo gastando muito dinheiro nos nossos diversos passeios, mas hoje fiz um bom negócio. Carreguei o cartão do Playland com 120 dinheiros e o crédito dobrou. Ganhei 240 dinheiros. Mais dois passaportes adulto para o Playcenter (cada um custa 45 dinheiros). Mais duas garrafas squeeze personalizadas. Mais cinco pacotes de balas 7 Belo gelatinosa. Eu ainda tinha uns 60 dinheiros de saldo no cartão, mais 240, fiquei com 300. Brincamos nós 3 por duas horas sem parar e ainda sobraram 200 dinheiros. E para completar a diversão com o Playcenter, só preciso gastar 25 dinheiros em um passaporte infantil. Bom negócio, ao meus eu achei. 120 para dois dias de diversão, 3 pessoas. Onde posso achar mais barato?
Além dos passeios que fico inventando (e sempre pensando se não teremos trânsito para chegar até os lugares escolhidos), também preciso de artimanhas para que o pequeno não fique perguntando a cada instante quantos dias ainda faltam para o papai voltar, faço o seguinte: quando marido viaja, vamos até a doceria. Ele escolhe um docinho para cada dia que o papai ficar fora e todos os dias, ao voltar da escola, come um docinho. Quando comer o último docinho, o papai chega. Desde que bolei esta história, ele não teve mais febre e não ficou mais doente durante as viagens do pai.
Aliás, acho que meu filho é um vendido. Ele estava há alguns meses fazendo fono para aprender a falar. Não tinha jeito da letra R vibrante sair da língua dele. E semanalmente, lá íamos nós para a fono, sem ver QUALQUER evolução. Chamei-o de lado e prometi: se você aprender a falar as palavras corretamente, vamos ao shopping e compraremos DOIS presentes. Em duas semanas, ele passou a tagarelar: BRINQUEDO, COMPRAS, PREÇO, APRENDER; foi como se num passe de mágica, o R encaixase no meio das palavras, para não sumir nunca mais. Compramos duas caixas com 20 Gogo's cada uma e mais um Banco Imobiliário para pequenos (é do Cocoricó, SENSACIONAL). Com o dinheiro de uma consulta da fono, pago os dois brinquedos e economizo o tempo.
Ai, como filho gasta... ou faz a mãe gastar!

4 comentários:

  1. caraca, que gastona!! com 120 pratas eu vivo o mês inteiro...

    ResponderExcluir
  2. FDPDKVTNC, pode até viver o mês com 120 dinheiros, mas gasta 120 dinheiros por dia em Kátia...

    ResponderExcluir
  3. Acho que nunca tive noção de preço do Playland. Vc achou uma pechincha e eu achei um absurdo...

    Ai Vemcha, como é caro ter filhos!!

    ResponderExcluir
  4. VEMCHA, cada brinquedo custa em média 3 reais. Uns custam 2,50, outros até 4 reais. São dois filhos. Se cada um brincar 10 vezes, considerando que cada brinquedo gasta 1 minuto, levaremos 10 minutos para gastarmos 60 reais. Sacou?

    ResponderExcluir