quarta-feira, 21 de abril de 2010

O aniversário de Brasília


Pensei, pensei, pensei. O que escrever sobre uma data tão importante? Na verdade, não tinha me dado conta do número redondo de anos que completa nossa capital. Tem já algumas semanas que ouço na CBN uma série de mini-reportagens falando sobre a cidade, mas não havia me tocado do porquê. Ontem a ficha caiu!
Brasília é um dos lugares mais bonitos que conheci. Ok, não conheci tantos lugares assim, mas também não me limitei a estar só em Sampa. A primeira vez que houve a possibilidade de eu estar lá foi em 1988, quando eu tinha só catorze anos. Ia com minha tia que já nem está mais entre os vivos, mas de última hora AMARELEI. Vim conhecer a cidade doze anos depois.
Desembarquei sozinha. Estava a trabalho e ficaria por lá uma semana inteira. Tinha vinte entrevistas para fazer, um projeto para a área comercial de uma grande multinacional de tecnologia. Para não ficar sozinha durante a semana toda, fiz vários amigos pela internet e marquei encontro com todos eles. Fui super paparicada, me buscavam no Blue Tree (SHTN) que havia sido inaugurado por aqueles dias, me levavam aos melhores restaurantes do Lago e ainda voltava para casa com a conta paga. Se bem que isto não fazia diferença no meu bolso, já que estava com tudo pago pela minha cliente.
Quando o motorista de táxi saiu do aeroporto, foi me explicando tudo a caminho do hotel. Pedi um tour pela pequena cidade, totalmente fascinada com aquela história de "asas". Encantei-me com a Catedral e quando cheguei em frente a Esplanada dos Ministérios, pedi para parar o carro. Desci. Estava de frente a um complexo de prédios, todos padronizados, limpos; só faltou o perfume. Estar em frente ao Congresso me trouxe arrepios. Tudo que se decide no nosso país passa por lá.
Durante toda a semana, fiz meu trabalho com os pés nas costas. Os executivos que entrevistei eram todos inteligentes, fluentes em inglês, com boa formação cultural, acadêmica. Desejei que todo processo seletivo fosse como aquele. Na semana seguinte, partiria para o Recife e sabia que encontraria algo oposto daquilo que estava vivendo.
A viagem acabou. Voltei depois de um mês para finalizar propostas e contratações. Depois de um tempo, voltei pela 3a. e última vez, agora para contratar um advogado para uma multinacional brasileira, que trabalharia entre Brasília e... ÁFRICA! Foi outro processo fácil e dos dois trabalhos ficou a enorme saudade da cidade.
É uma pena saber que um lugar tão bonito é tido como sinônimo de roubalheira, de escândalos públicos, de corrupção. Mas deve fazer parte do "jogo", para que nada seja perfeito.
Parabéns Brasília pelos 50 anos, parabéns Niemayer pelo seu mais belo projeto!

2 comentários:

  1. Brasília é, curiosamente, o lugar onde eu mais passei frio na vida. Aquele tempo quente e seco engana. Vc sai sem blusa e quando a noite cai, congela.

    Anyway, nossa capital é bonita. Mas vale lembrar que o progresso de 50 anos em 5 do finado JK, que incluiu a construção da cidade, deixou o país na dívida eternamente...

    ResponderExcluir
  2. Nossa, então ce não levou blusa... pq aí faz mais frio... Ah MV, vamos deixar a parte triste da história para lá, não é da nossa conta, não somos brasileiros mesmo!

    ResponderExcluir