quarta-feira, 21 de abril de 2010

Cúmulo do absurdo

Estive em reunião com o coordenador da escola da minha filha nesta segunda-feira. Foi simplesmente absurdo. Ele me chamou de grosseira pela maneira como me expus após a nota DOIS dela de inglês. Chamou para participarem da reunião: a professora de português e a de inglês. Para quê? A resposta dele foi a seguinte: a matéria da prova substitutiva será a mesma da prova que sua filha tirou dois e nós não vamos dar nenhum tipo de retomada, pois o sistema Etapa retoma constantemente todo o conteúdo. E finalizou: não se preocupe com nota, isto não é importante.
Cacete! Preciso desabafar. Como educadora, sei que nota não é importante. Só que minha filha não aprendeu NADA. E aprender, também não é importante? No conceito dele, provavelmente não. Afinal, caso eu fosse uma mãe relapsa, minha filha provavelmente repetiria de ano e a escola lucraria mais um ano. Ensino virou negócio, não é mais educação.
Este é o motivo maior pelo qual anseio ir embora do Brasil. Hoje fiquei muito feliz, recebi a notícia de que minha prima, que mora em Portugal, está vindo ao Brasil em agosto, com as filhas e o marido holandês. E após DEZOITO ANOS vivendo na terrinha, finalmente eles se renderam e se mudarão para a terra natal do marido. Acabei de falar com o meu marido, que ainda está na China e ele se animou todo. Quem sabe a Holanda possa ser um destino intermediário entre Brasil e Canadá?
Minha família é muito pequena. Esta minha prima é a única que tenho por parte de pai. Por parte de mãe, somos nove primos. Eu, meus irmãos e mais seis. Um dos meus primos mora na Alemanha já há dois anos e tralalá... e meu irmão que está em Dublin alguns meses antes do meu primo. O mundo é muito grande e cheio de bons lugares para educar meus filhos.
De verdade, cansei de ficar dando cabeçada por aqui, pagando as fortunas que pagamos de impostos, mais outra fortuna de escola, para quê? Em casa, gastamos 2300 dinheiros por mês com escolas. Sem computar: transporte, uniformes, materiais e lanche. É só a mensalidade e o almoço. Para as crianças ficarem até as 15hs diariamente. Meu filho faz natação e judô na escola. Minha filha não faz nada. Nem estuda, já que a escola, pelo visto, não está interessada no resultado final. Fica aqui a pergunta: PARA QUÊ?????

6 comentários:

  1. escola na frança é de graça. da creche até as universidades. saude tb... que tal colocar a terra de napoleão nos seus planos tb????

    bjim!

    ResponderExcluir
  2. Amiga, durante ANOS E ANOS alimentei o sonho de morar por aí... nossa, só de imaginar que eu ia poder tomar iogurte de cereja todos os dias, tenho até arrepios... mas sabemos que a vida aí é muito difícil, emprego para estrangeiro não é fácil... mas nunca desisti, afinal, marido trabalha em empresa cujo capital é 49% francês... pq não outra expatriação? Torce daí que eu torço de cá... bejokitas

    ResponderExcluir
  3. pra mim tá valendo qquer lugar acima da terra e abaixo do céu. desde que tenha comida e cerveja! vem logo!!

    ResponderExcluir
  4. E uma boa escola e iogurtes de cerejas!!!

    ResponderExcluir
  5. Concordo com vc: a educação no nosso país é uma vergonha, assim como a saúde e etc.
    Eu também morro e vontade de morar em o utro país, de preferência nos EUA.
    Cada vez que eu volto de lá me bate uma depressão. Isso é porque eu vejo que as coisas por lá funcionam. Muitos dizem que os americanos são frios e sistemáticos, mas ultimamente eu tenho achado que a vezes isso tb pode ser bom.
    Mas enquato morarmos aqui, temos que lutar por um país e uma vida melhor.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ai Ká, estou lutando há tanto tempo, que queria mesmo me mudar para um país que valorizasse a educação. Aqui é muita gente levando vantagem e pouca gente levando o aprendizado. Não é vantagem educar, pois a educação desaliena o indivíduo, ele passa a entender seus direitos e briga por eles. Sai da escravidão para escravizar e nenhum lugar pode ter mais cacique que índios...

    ResponderExcluir