quinta-feira, 4 de março de 2010

Sete pecados (capitais)


Já tem alguns dias que estou pensando em escrever sobre os sete pecados. Vivo como uma pecadora (e quem não vive?) e entre um pecadinho e outro, fico imaginando minha pena no dia do juízo final. Antes de entrar nos pecados, porém, vou fazer um parágrafo sobre religião.

Sou cristã. Nasci católica, fui batizada, fiz 1ª comunhão e pulei a crisma. Mesmo assim, consegui me casar na igreja católica, em 1992. De véu e grinalda. Durante anos frequentei a igreja, adorava os amigos, os catequistas, mas detestava o padre. Percebi, depois de muitos anos, que sai da igreja sem nunca sequer ter lido a Bíblia e com várias indagações. Travei uma luta com a busca religiosa. Conheci seitas, doutrinas, fui batizada na igreja evangélica Bíblica da Paz na Vila Guilherme. E cheguei à doutrina espírita kardecista. A priori, achava que espiritismo era macumba. Depois entendi a doutrina como cristã e apesar de não acreditar em várias coisas pela falta de concretismo das mesmas, é hoje o que mais me identifico religiosamente.

Voltando: quando decidi buscar a religião, foi por conta das hipocrisias que enxergava dentro do catolicismo. Não é aqui uma crítica à Santa Igreja. É um ponto de vista. Acho um absurdo, por exemplo, a igreja não permitir que uma criança faça sua 1ª Eucaristia pelo fato de os pais não serem casados na igreja católica. E para batizar meu filho, tive de ir até a Nossa Senhora do Brasil, uma das poucas igrejas que aceita filhos de pais não casados na igreja. Só para não parecer contradição, estou no segundo casamento.

Fato é que pensando nos sete pecados, fui pesquisá-los e descobri coisas interessantíssimas:

- os SETE pecados podem se tornar OITO, dependendo do Papa que os consagrou, em dada época da nossa história;
- a PREGUIÇA, pecado que eu jurava cometer várias vezes, é PREGUIÇA ESPIRITUAL. Deixei de ser pecadora, pois sou alguém que ora convictamente durante todo o dia; e gosto de fazê-lo deitada;
- a mesma PREGUIÇA originalmente era um pecado chamado MELANCOLIA, o que os médicos que estudaram ao longo da história chamam hoje de depressão (viva o mundo pecador);
- contrário aos sete pecados, há as sete virtudes, que servem de redenção aos pecadores;
- para cada pecado, há a associação com um demônio.

E quais são os sete pecados? Eis cada um deles, que até onde pesquisei, são grafados em letra maiúscula, e ao lado de cada sua maneira de redenção: Luxúria (castidade), Ira (paciência), Inveja (caridade), Avareza (generosidade), Gula (temperança), Preguiça (diligência), Soberba (humildade).

Agora preciso refletir na minha pesquisa. Vou preparar uma bandeja cheia de comidas gostosas e estender-me na cama. E depois de praticar a Gula e a Preguiça, render-me-ei à diligência, seguida de algumas horas de temperança!

Um comentário:

  1. huahahhauhahua
    show! vou pecar sem redenção nenhuma... bjoca

    ResponderExcluir