domingo, 7 de março de 2010

O dia em que tomei chá de canseira no hospital


Quem gosta de hospital, que atire a primeira pedra. Acho que nem hipocondríaco gosta do ambiente hospitalar. Só que há coisas que não temos opção e hospital é uma delas. Depois de voltarmos da Yamamura, corri com o almoço. Fiz uns escalopes de filé mignon ao molho de shoyu com arroz e legumes. Estava tudo uma delícia. Eu na mesa comendo e imaginando a sesta. Imaginando minha macia e confortável cama. Quando meu filhote começa a reclamar de dores nas pernas. E começa a chorar. E a reclamar de dores nos braços. E na cabeça. E no pescoço. Tudo isso em 30 minutos. Encosto nele e o calanguinho queimando em febre. Sai quase que com o avental do almoço. Corremos para o Samaritano e entrei na emergência. Do caminho, liguei para a dra. Maria Helena, que disse ser muito provavelmente alguma bactéria no sangue. Após algumas horas de espera, ainda tinham QUINZE CRIANÇAS na nossa frente para serem atendidas. Liguei de novo para a doutora. Ela nos deu alta. Voltamos para casa e terei de controlar a febre até amanhã pela manha, quando levarei meu texugo para o consultório da doutora. Já sei que a noite vai ser tensa. E toda a programação para o dia de amanhã, será adiada, uma vez que ainda estou no dilema: PROCURA-SE UMA EMPREGADA DESESPERADAMENTE.

Um comentário:

  1. eita....espero q nao seja nada e q ele melhore e passe uma noite tranquila!
    Qlq coisa grita ta?

    Bjos

    ResponderExcluir