terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O mundo dos maloqueiros

Tem gente que vem do submundo, da favela, do cortiço ou coisa parecida. Ganhou um pouco de dinheiro para dar entrada em um apartamento melhor, ou talvez comprar a primeira casa própria. Financiou o resto em trinta longos anos, não sabendo sequer se estará vivo até o final. E pronto, se acha no direito de fazer o que bem entende.

Estou ODIANDO o povinho que vai morar aqui no condomínio. Tem gente boa, tem gente descente, tem gente honesta. Mas tem gente SEM EDUCAÇÃO, IMPAFIOSA e que acha que o dinheiro é suficiente para desrespeitar e desmerecer o descanso alheio.

Estamos em pleno feriado de carnaval. Há uma maldição na minha cabeça. Apartamento fazendo obra O DIA INTEIRO. Com o silêncio que deveria imperar, a única coisa que se ouve é o barulho das serras, das máquinas. Ligamos na portaria para reclamar. O FILHA DA PUTA do morador (não tenho outra palavra para definir o indivíduo) desrespeita os funcionários, dizendo que “pode multar, eu pago”. Imagina só essa gentinha, quando estiver morando aqui? O fim do mundo. Gente pequena, gente baixa, gente mal educada.

Fora as festas que tivemos de aturar nos vizinhos. Fora as piscinas lotadas de intrusos, morador desrespeituoso que enche seu carro de povinho para entrar nas piscinas do condomínio. Gente pobre, pobre de espírito, pobre de caráter, mas acima de tudo, pobre de dinheiro. Pois se tivessem condições, construiriam sua casa privada, colocariam nela um grande tanque para afundar a baianada que está invadindo o condomínio.

Triste saber que vou ter que conviver com gente tão pequena. Mas berço é algo que o dinheiro não compra. Ou as pessoas nascem com, ou passam a vida achando que podem pagar por qualquer coisa. Fazer o quê?

2 comentários:

  1. Menina, me identifiquei com vc! Sabe que cheguei a ver o seu prédio, mas como nasci e cresci nas imediações sempre soube que ali nunca foi Santana, é Lauzanão mesmo...
    Eu moro na Serra (pela 2a. vez). Na primeira precisei me mudar, pois trabalhava em Sto Amaro e não aguentei. Fui para um prédio excelente em Santana, mas quando comecei a achar 107 m2 apertados, achei que precisava mudar. Vi todos os empreendimentos lançados em 2006/2007, mas decidi voltar para cá, pelo simples fato que com o passar do tempo, a gente pega alergia de vizinho. Não que aqui na Serra não tenha também um povinho sem educação, e isto não refere-se a $$$ e sim berço. Como sempre digo, "você pode tirar uma pessoa do morro, mas nunca vai tirar o morro da pessoa". Boa sorte e quer um conselho, procure uma casa no meio do mato!! Você com certeza não morrerá de úlcera ou infarte. Ou procure um prédio com poucos aptos, menos gente, menos problemas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Oi Pati, tudo bem? Sabe, quando compramos aqui e pelo valor que pagamos, não imaginávamos passar por certas coisas. Eu já morei em condomínio com mais apês que aqui, OITO POR ANDAR, quase uma Cohab, e não vivi metade das coisas que vivo por aqui. Como queria que o marido topasse morar em uma casa... ah, meu sonho de consumo! Obrigada pela visitinha. Abraços.

    ResponderExcluir