sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Uma questão de não planejar


Há coisas na vida que só os irmãos para entenderem e rirem. No caso, aqui, eu e o meu irmão, que teria a mesma reação que tive hoje ao viver uma situação.

Vou completar oito anos de casada e em todas as passagens dos anos, eu e meu marido fizemos uma relação com as nossas metas para o ano seguinte. Na última, porém, não quis fazer meta nenhuma. O ano de 2009 foi um ano muito difícil e não colocamos nada em prática aquilo que tanto planejamos. Achei melhor deixar a vida me levar e vivê-la da melhor maneira possível, sem planejar, para depois não me frustrar. Meu irmão havia escrito alguma coisa sobre não planejar em seu blog e me identifiquei imediatamente.

Eis que chega meu marido do trabalho, tira algumas coisas do bolso da camisa e, dentre elas, um papel com coisas escritas à mão. Curiosa, peguei para ler e lá estavam as metas dele. Li e comecei a rir. Todos os anos temos as mesmas PRIMEIRA META: a dele, correr; a minha, emagrecer. E assim passam-se os anos.

Cansei de lutar contra a balança. Agora, vou cuidar da cabeça e as consequências chegarão ao corpo. Como sempre. Mas espero que de maneira positiva. Sem planejamento, sem ilusão, sem frustração. Apenas vivendo.

Um comentário:

  1. hehehheehe
    Meta de fim de ano é o famoso "me engana que eu gosto" ou então "joga areia nos meus olhos". Bora seguir um passo por vez e descobrir onde vai dar...

    ResponderExcluir