domingo, 10 de janeiro de 2010

Encontro por acaso


Fui ao Lar Center. Além de ir reclamar pela falta de impermeabilização que entregaram meu sofá, também precisava comprar um dispenser para cereais. Reclamação feita, fui até a Camicado. Encontrei o dispenser logo que cheguei. Pedi ajuda à vendedora, que com muita má vontade, disse só haver aquela única peça DETONADA na loja. Fui até a Bia Gallo Presentes; os preços são parecidos e lá tinha na cor vermelha, tal como eu queria. Mas também havia acabado e me indicaram a Beauty Home, uma loja MARA que tem no shopping. Fui super hiper mega ultra bem atendida, lá era o lugar mais barato (e as pessoas torcem o nariz porque parece loja de gente rica) e ainda tinha 10% de desconto. O melhor, porém, foi reencontrar Mariza Freire.



Mariza Freire, que de Freire não tem nada, é conterrânea de Madá (lena Freire). E de tantos outros baianos mundo afora espalhados. Veio com o marido para São Paulo para que ambos estudassem. Deu um duro danado, acordou cedo, trabalhou todos os finais de semana durante três anos, ficou alguns sem fazer nada por conta do desemprego, mas levantou, sacudiu a poeira e deu a volta por cima. Agora, ela e o Léo estão se formando. Ele em Radiologia. Ela, minha ex-colega de sala, com quem tive a honra de estudar. Enquanto tantas pessoas se apegaram em mesquinharias, Mariza ria, se divertia, resmungava mas estava sempre de bem com a vida.



Sei que existem muitas Marizas e Léos por aí. Só que nem todos passam pela minha vida, portanto, deixo minha homenagem para a Mariza, a baiana guerreira que lutou e chegou lá!

Um comentário:

  1. salve Mariza. vou passar o dia na rede, em homenagem a ela...
    bjoca

    ResponderExcluir