segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Cozinha prática e econômica


Cozinhar é algo muito prazeroso, desde que fazer comida não seja uma obrigação diária. Adoro cozinhar e dizem as bocas (e estômagos) que cozinho bem. Só não faço comida por obrigação. Aqui em casa, todo mundo almoça. Agora jantar são outros quinhentos; as crianças substituem o prato de comida até por uma fruta. Acho que têm preguiça de comer. Marido, então, nem se fala. Eu e ele somos adeptos de uma boa taça de açaí a noite, salvo no inverno, que gostamos todos de tomar sopa. Como não temos o hábito de sentarmos à mesa duas vezes ao dia para o velho e bom prato de arroz com feijão (desde que o feijão esteja por baixo do arroz), em casa acaba sobrando muita comida. Comida que eu jogava fora. Coisa do passado. Tem alguns anos já que frequentamos um hotel cuja culinária é de primeira. Em todas as refeições, há filé mignon, filé de frango, filé ou posta de peixe, dentre outras coisas. O interessante é que na refeição seguinte, sempre percebemos que a sobra da refeição anterior virou algo mais elaborado, não havendo o desperdício. Assim resolvi fazer em casa. No almoço de ontem, abri a geladeira e encontrei: couve refogada para o almoço do dia anterior, sobras de linguiça do churrasco da noite anterior, arroz cozido de dois dias atrás. Coloquei azeite na panela, refoguei cebola, a linguiça bem picadinha, quebrei alguns ovos e fritei na mistura, joguei a couve bem picadinha, o arroz quase velho, temperei com pimenta do reino moída na hora e um caldo sabor calabresa. Um pouco de ajinomoto, mais um pouco de água e... tcharannnnnnnmmmm... o arroz ficou DELICIOSO. Todo mundo elogiou meu prato exclusivo, acabou tudo e não joguei nada fora. Tente inovar também. Ouse, invente, pois a cozinha é um dos tantos lugares que passamos na vida e que podemos fazer qualquer coisa que quisermos. Basta usar a imaginação!

2 comentários:

  1. sua comida é boa pra caralho, não há dúvidas. foda é que já passa da meia noite aqui e eu fiquei com uma puta fome...

    ResponderExcluir
  2. Vem aqui em casa que te faço uma fejuba, topas?

    ResponderExcluir