quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A saga do sofá


Quando nos mudamos, às pressas, no início de dezembro, eu e minha prática decidimos que tudo ficaria pronto ainda no ano de 2009. Claro que eu não contava com MUITOS imprevistos. E muita incompetência também.

Primeiro final de semana do ano, fomos ao Lar Center comprar o sofá. Nada pior que ficar com uma sala enorme e vazia. Parece campo de futebol. Eis que fomos na primeira, na segunda, na terceira, na quarta loja e todas nos davam um prazo de 40 dias NO MÍNIMO para a entrega de um sofá. Entramos na Henri Matarazo. O sofá que escolhemos tinha disponível, para entrega na mesma semana, nas cores verde e areia. Verde não combinava com nada. Areia, com tudo. Mas areia é MUITO claro. Mas, contudo, porém, entretanto... existe algo chamado IMPERMEABILIZAÇÃO. Nada que um chequinho não pague. Decidimos pelo sofá areia, que seria entregue em cinco dias; poderia ser entregue antes, mas como tinha a impermeabilização...

Eis que chega o quinto dia, dia da entrega. Eu estava no hospital, mas cheguei em casa e vi o sofá lindo e maravilhoso na minha sala. Sentei e fui testar as reclinações dos encostos. E só metade funcionava. Tentei de várias maneiras. Nada. Os assentos também não travavam. E tinha um furo em um dos encostos, na parte de trás. E no dia seguinte, resolvi testar a impermeabilização, jogando um pouco de água no sofá. Água esta que foi sendo sugada pelo tecido e pela espuma.

Fomos no sábado até a loja e fizemos a reclamação. O atendimento foi tão bom quanto a venda e a entrega. Na segunda-feira, viria uma pessoa em casa para resolver. Ligaram na segunda, dizendo que houve um probleminha, mas a pessoa viria na terça no primeiro horário. E na terça, ninguém ligou. A tarde, quando meu marido ligou na loja, informaram a ele que a pessoa estava em férias e retornaria na quinta-feira. Que é hoje. E não tivemos satisfação de nada e nem de ninguém. Liga ele novamente na Henri Matarazo e avisaram que houve um probleminha, mas a pessoa vem segunda-feira.

Fiquei PUTA. MUITO PUTA. O que era para ser um prazer acabou virando um estorvo. Tenho um sofá de 2,60 metros no meio da sala, na cor AREIA (entenda-se “quase branco”), dentro de um condomínio em obras, com duas crianças em férias em casa, doentes (e que, portanto, não podem ir à piscina), sem televisão (já que a incompetência impera no mundo e um condomínio de alto-padrão é entregue sem antena coletiva e ainda não está pronto o cabeamento de tevê paga) e eu gritando o dia inteiro para que eles não cheguem perto do famigerado sofá. Estressei. Liguei na loja e disse que NÃO TENHO COMO ESPERAR ATÉ SEGUNDA-FEIRA, até porque, depois de UMA SEMANA DE ENROLAÇÃO, eu nem sei se a segunda-feira é um dia que existe no calendário.

Promessa de uma resposta para amanhã. Let’s wait for it!

Um comentário:

  1. cadê?? 'amanhã' já passou e eu continuo em pé, esperando pra saber o fim do caso...
    bjunda

    ResponderExcluir