quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O caso da menina da Uniban do ABC


Semana passada, minha prima que mora em Santo André me perguntou, pelo Orkut, se tinha visto o que aconteceu na Uniban. Não, não tinha visto ou ouvido falar. Estava convalescendo, com a tal pneumonia, a cabeça doendo dia e noite e não tinha como ver televisão, ouvir rádio ou ler as notícias pelo computador. Menos de uma semana depois do ocorrido, soube que foi o assunto mais polêmico da semana passada. Até o Fantástico entrevistou a aluna.

O caso foi o seguinte. Uma estudante de Turismo foi ao campus da Universidade com um vestido curto. Alguns alunos se acharam no direito de xingar e humilhar a moça, usando termos do mais baixo calão. O campus se transformou em uma balburdia em pouco tempo. Policiais militares foram chamados para conter a confusão, ou melhor, tirar a estudante de lá e escoltá-la até sua residência. Agora, ela está temporariamente escondida, segundo consta dos noticiários, por ordem dos seus advogados.

Aos fatos: é da conta de quem o que as pessoas vestem ou deixam de vestir? Por que será que o indivíduo hoje em dia se preocupa cada vez mais com o seu próximo e deixa de cuidar do próprio nariz?

Em meio a toda confusão, acabei tomando ciência de um caso que ocorreu no mesmo campus, da mesma Universidade, no primeiro semestre. Pelo que entendi, o saldo foi uma aluna fisicamente lesionada. A culpa é da universidade? Claro que não.

Eu acho que a Uniban é omissa em várias coisas, mas não é a responsável pela formação do caráter das pessoas. Pessoas ruins, de mal-caráter ou má-índole existem em qualquer lugar e o campus ABC não é o privilegiado. No meu, ocorrem coisas semelhantes, só que são pessoas de mal-caráter de um nível mais elevado, que não fazem as coisas ao ponto de saírem no Fantástico. É que os casos da minha sala de aula, em especial, dariam um Globo Repórter. Talvez uma minissérie. Quiçá, uma novela.


A inveja é uma arma. Uma arma que fere e que destrói pessoas. Quem usa desta arma, não tem idéia dos danos que causa às pessoas. Tampouco tem idéia dos males que estão causando a elas mesmas. E no caso da estudante do ABC, não consigo entender até o momento o porquê de o seu vestido, que não tinha nada de indecente, pode ter incomodado tanto lá na casa do vizinho. Inveja?

Um comentário:

  1. esse povo precisava conhecer as irlandesas pra entender o que é saia curta...

    ResponderExcluir