terça-feira, 13 de outubro de 2009

Dia das Crianças

Foi-se o tempo em que feriado em São Paulo era sinônimo de paz. De uns anos para cá, por mais que as estradas estejam lotadas e congestionadas, a cidade não fica diferente. Assim, fica impossível fazer qualquer programa com a esperada paz de outrora, quando tudo estava vazio.

Há alguns anos, minha cunhada e um grupo de amigas tiveram a idéia de fazer a festa do dia das crianças, já que neste dia a possibilidade de levar os pequenos para brincar em qualquer lugar que não esteja lotado, é praticamente nula.

Minha cunhada é pedagoga e diretora de uma escola de teatro. Mas ela não é pedagoga por possuir um diploma de tal. Nasceu realmente para a profissão, portanto, a festa das crianças é apaixonante. Ela programa várias oficinas. Vai à 25 de Março fazer as compras e volta com muitas novidades, sempre. Na festa deste ano, houve oficina de biscoitos: com uma lata de leite condensado industrial, garrafas de leite de côco idem, várias latas de leite Ninho, canecas dos personagens favoritos das crianças e corante, os pequenos fizeram biscoitos coloridos. Não sei se alguém teve a coragem de comer, depois do manuseio de tantas mãozinhas remelentas manuseando a “meleca”. A segunda oficina foi de pintura de tela, com aquarela, a dedo. Cada criança recebeu sua tela, sua aquarela de tinta guache, copo de água e sugestões diversas de como fazer desenhos apenas com as impressões digitais. Eles amaram e cada um saiu satisfeito com sua obra de arte. Houve a famosa mesa de doces, quando cada pequeno avança com seu saquinho para encher de guloseimas, como se nunca tivessem visto em suas vidas algo parecido. Além das diversas brincadeiras que as duas animadoras contratadas fizeram, como as famosas tatuagens, esculturas de balões e outras corriqueiras das festas de aniversário, ainda havia uma gigante piscina de bolinhas e uma enorme cama elástica. As crianças ainda contaram com um piquenique cheio de coisas gostosas, que claro, os adultos também quiseram experimentar. No ano passado, havia barracas de cachorro-quente, hambúrgueres, pizza, pipoca e algodão-doce. Para os adultos, churrasco. Este ano, houve crepes variados, doces e salgados, servidos até as barrigas explodirem. Ao final da festa, tem o bolo com os parabéns para os homenageados do dia e logo após, vem a distribuição dos presentes. No ano passado, a coqueluche era o diabolô, que todos amaram. Ontem, ganharam a massinha que pula (e para quem ainda não conhece, corra até a loja de brinquedos mais próxima, pois ela é fantástica).

A iniciativa, na minha opinião, é genial. A festa começa na hora do almoço e vai até a hora que ninguém agüente mais e decida ir embora. Todos saem da festa almoçados, com lanche da tarde e jantar muito bem servidos. Além dos presentes que as crianças levam. Os custos da festa são divididos entre todos os presentes, adultos e crianças. E o valor é muito baixo. Com o valor que pagamos neste ano, que foi o mesmo do ano passado, não pagaríamos o almoço da nossa família em uma churrascaria. Então, valeu a pena pelo dia de diversão.
Para não ficar na diversão apenas entre as crianças, teve campeonato de truco e de dadinho, o qual meu marido foi o campeão e ganhou um troféu, recebido das mãos da nossa pequena sobrinha! O único inconveniente foi fazer com que as crianças acordassem hoje. Apesar de não ser segunda-feira, foi dia de branco e a vida voltou ao normal.

3 comentários:

  1. Ei! Nem sabia que o cunhado jogava truco. Ou ele foi campeão no dadinho? Pq aí vai dar problema. Afinal, vc sabe. Dadinho é o c$*#$%

    ResponderExcluir
  2. He he he... não é td cabra que é macho e se garante, podendo até jogar dadinho. Quer um professor?????

    ResponderExcluir
  3. Ursula, fica brava não.
    Vc quer que eu fale que vc é maravilhosa... e daí, todo mundo sabe disso, que tem uma capacidade enorme de perdoar e de se perdoar..
    Todo mundo já sabe disso também. Te vejo na colação.
    Um grande Beijo!!! Madá.

    ResponderExcluir