terça-feira, 15 de setembro de 2009

Uma questão de consciência, educação e cidadania


Não há nada que eu abomine mais na minha vida que festas escolares. Detesto, sou contra, acho que criança não é marionete. Sei que há pais que amam tais comemorações e não os condeno. É o livre-arbítrio para opiniões. Minha filha sempre adorou participar de toda e qualquer festividade na escola. Já meu filho não gosta. Quando estava na outra escola, que era apenas uma pré-escola, na qual ele entrou ainda bebê, as poucas festas que houve foram sempre muito bem feitas, uma vez que apenas aquela turma participava. Então, eram dez, doze crianças, que conviviam não apenas diariamente, mas também aos finais de semana (já que tínhamos um grupo de mães para passeios) e todas estavam familiarizadas com a escola, com o ambiente físico e com todas as pessoas ali presentes.

Na festa junina, ele já estava na nova escola. Escola grande, que vai do mini-maternal até o Ensino Médio. A escola é gigante. A dança das crianças foi em uma das quadras do colégio, com uma enorme arquibancada e pais, tios, avós, padrinhos, amigos, etc., espalhados por todos os lados. Meu filho não quis dançar. Senti-me mal quando entrei na quadra junto dele e deixei-o ali, bancando uma marionete para aquele espetáculo. A amiguinha que seria seu par, não entrou para dançar de maneira alguma. Resultado: os pais se frustram por não ver os filhos dançando, os filhos se frustram por não dançar para seus pais, mas a vergonha (ou o bom senso infantil) fala mais alto.

Semana passada, recebi o aviso da festa de encerramento. Será dentro do anfiteatro da escola. Custo de aluguel de espaço? Zero. Valor do pagamento para a participação do meu filho? Setenta Reais. Podem ser pagos em duas vezes ou a combinar, desde que seja até dia nove de outubro. Para que é o dinheiro? Para complemento das fantasias usadas nas danças pelas crianças (percebam o plural em tudo). Porém, tudo o que for usado, ficará para o acervo da escola.

Li o bilhete e espumei de raiva. Senti-me lesada. Perguntei ao meu filho, “vai ter a festinha na escola antes das férias chegarem e você e seus amigos irão dançar. Você quer dançar?”. Sem pestanejar, sem pensar por nenhum segundo, ele respondeu taxativo: NÃO.

Hoje, chegou um novo bilhete. Na verdade, um contrato de prestação de serviços. Autorizando uma empresa que filma e fotografa, a fazer o trabalho do meu filho na apresentação. O pacote mais barato custa CENTO E NOVENTA REAIS. Detalhe: neste valor, estão incluídos dois DVDs, um com as fotos (para que sejam impressas pelos pais) e outro com as danças. Ou seja, pela bagatela de CENTO E NOVENTA REAIS, filmarão todas as crianças, incluirão uma edição qualquer com nome da escola, ano, etc., tudo isso que até a mais burra das mães faz hoje seguindo tutoriais de qualquer editor incluído no Windows e entregarão o mesmo DVD para todas elas.

Está na hora de começarmos a criar um mundo de menos consumo, de menos ostentação e de mais consciência do que realmente é a vida, como é a vida e como é dura a vida de tantas e tantas pessoas pelo mundo afora.

Ontem, estava em consulta médica e comentei com a doutora sobre minha imensa vontade de sair de São Paulo. Disse que meus filhos serão muito mais felizes se puderem respirar mais dias por ano sem remédios e andar com os pés na grama do nosso jardim, a ter uma mega festa em um mega Buffet, apenas um dia ao ano. Alguém discorda?

5 comentários:

  1. Nãooooooooooooooooooooooooooooooo..
    Eu sai e vc sabe disso....
    A vida que levo aqui é totalmente diferente....
    Acordo as 6 da manhã e vou pra academia, levando já meu uniforme, makiagens e tal, (POIS TRABALHO AO LADO DO CLUBE, ONDE FAÇO ACADEMIA)RS
    Faço academia, tomo um banho e vou trabalhar, entro as oito, então 7:55 hs saio do clube..
    saio pra almoçar as 12:30hs, e cehgo em casa 12:40 hs levo minhas filhas para a escola, retorno a minha casa, almoço, descanso um tempo e retorno as 14:00, sendo que saio de casa 13:50 hs...
    qdo saio do serviço as 17:30, passo em duas escolas diferentes pego as meninas e ainda assistimos malhação.... rsrsrs
    temos uma convivência muito maior com os filhos, estamos sempre por perto.... aos fds estamos sempre juntos.... no clube, em uma chacara com amigos, ou em cidades vizinhas que levam apenas 1 hr pra chegar....
    minhas filhas são muitissimos mais saudaveis aqui....
    convênio????????? larguei mão....
    paguei durnate dois anos, sem ao menos ter usado por mais de 2x....

    vem pra são joão da boa vista amiga!!!!!!vc vai amar....

    bjuuuuuuusss e fike com Deus..

    ResponderExcluir
  2. Amiga, vc não sabe o quanto quero sair dessa loucura que está SP. Aqui, não vivemos. Sobrevivemos. Todos os dias, antes de dormir, agradeço a Deus por estar viva por mais um dia, por não ter morrido de estresse, por não ter sofrido um acidente de trânsito, pela minha família estar toda em casa dormindo. E peço para que o dia de amanhã seja SÓ UM POUQUINHO menos estressante que o de hoje. Eu quero mudar daqui. URGENTE. Quero viver. Quem sabe não seja em São João da Boa Vista??? Um beijo bem grande no coração

    ResponderExcluir
  3. I always inspired by you, your thoughts and attitude, again, appreciate for this nice post.

    - Norman

    ResponderExcluir