terça-feira, 22 de setembro de 2009

O que prevalece em você: Jekyll ou Hyde?


Tenho uma colega de classe que é muito inteligente. Tem pessoas que precisam se esforçar para conseguir aprender as coisas, umas com mais esforço, outras menos. Outras são simplesmente inteligentes por natureza. Assim é minha colega. Sempre digo para ela que morro de raiva dela. Eu passo o semestre inteiro me matando de estudar. Ela falta quase que todo o semestre. De repente, surge em uma aula, olha para o que o professor está explicando e diz, “que coisa idiota, como isso é fácil”. Mas minha colega não fala isso de maneira arrogante ou para humilhar os pobres e esforçados mortais. As coisas são simplesmente fáceis de processar para ela. E por ser uma aluna que falta tanto, ela não se tornou um grande destaque dentro da minha sala, pois, sem sombra de dúvida, é a pessoa mais inteligente.

Hoje, estávamos discutindo vários assuntos ao mesmo tempo. Desde o dia em que decidi que seria prostituta (e ela disse que eu jamais teria coragem), passando por assuntos da vida dela (profissional, pessoal) e, claro, como não poderia faltar, falávamos de pessoas ao nosso redor.

Há pessoas que trazem dentro de si muito complexo. São necessários anos de terapia para resolver tais problemas internos, mas como o dinheiro mal dá para a comida, quem dirá para pagar um bom terapeuta. Tais complexos fazem com que a bipolaridade que existe em todo ser humano, se torne muito mais aparente que em pessoas sem a tal complexidade excessiva.

Tem gente que sofre ao ver um amigo, um irmão, um cunhado ficar noivo. E espera o namorado tomar uma decisão, sair de cima do muro, não vendo nada acontecer. Lá vai a carga de inveja, misturada com a frustração, vezes o complexo. Vira uma salada. Nessa hora, o Dr. Jekyll que existe em cada um de nós dá lugar para que Mr. Hyde se torne o supremo. Não acho que uma pessoa é capaz de matar alguém, fisicamente, só por descobrir que não é o melhor aluno da sala de aula; apesar de sempre ter se achado o tal. Tampouco matará por descobrir que a vida de todo mundo ao seu redor está resolvida: amigos casando-se, tendo filhos, comprando suas casas. E a pessoa ainda no simples empreguinho de atendente de telemarketing, em um momento da vida que a carreira já deveria estar despontando.

O que faz com que o Mr. Hyde existente dentro de pessoas desse tipo mate alguém são as fortes palavras usadas. É o mau-caratismo. É a falta de personalidade, para chegar para as pessoas e dizer o que está incomodando. Para um indivíduo assim se sentir superior, precisa ter como melhor amigo aquele outro indivíduo que tem um empreguinho tão medíocre quanto o seu, e, pior, não tem sequer namorado.

Bom, isso aqui foi um papo pessoal, sem pé, sem cabeça, sem sentido, mas totalmente compreensível para eu e minha colega inteligente. E que a inteligência e a humildade dela continuem sendo características dominantes na sua personalidade, para que ela seja capaz de tentar contagiar “mentes doentes” ao seu lado.

4 comentários:

  1. Pô MV... vc entendeu td errado. É meu lado da psicanálise já em ação...

    ResponderExcluir
  2. Acho que só a gente mesmo pra entender! Você foi muito clara!
    Obrigada pelos elogios amiga!!!
    bjusss

    ResponderExcluir
  3. He he he... só a gente e a quem de direito... eu é que agradeço por me mostrar que todo mundo tem seu lado Hyde... aliás, a Eliana também quis mostrar seu lado Hyde, na carta que me pediu para postar hoje, vc leu? Bejokas, GÊNIO DO 3O. ANO!

    ResponderExcluir