terça-feira, 29 de setembro de 2009

O livro para educar filhos


Por diversas vezes, chego na escola dos meus filhos e vem pessoas falar comigo. É sempre elogio para todos os lados, pela educação que eles têm. Eu, claro, fico lisonjeada.

Por diversas vezes, pessoas dizem que sou rígida demais com meus filhos. Não vou dizer que sou indiferente a tais críticas, pois seria hipocrisia. Me questiono e pergunto se precisa mesmo de tanta rigidez.

Por diversas vezes, meus filhos vão para casa de amigos, de parentes e recebo vários elogios pela educação dos dois.

De tanto assunto, nossas mentes transformam-se em um paradoxo. Ser mais flexível, mais maleável ou continuar na linha dura? Filho vem sem bula, sem manual de instrução, sem guia de como usar, sem tutorial para manuseio.

Continuarei seguindo a linha dura. Castigando quando for preciso, mesmo que sejam castigos que me causem dor. Dando para eles o amor que posso. Ofertando-lhes coisas materiais que estiverem ao meu alcance, sem prejudicar seus valores, pois a infância é rápida demais para perder tempo pensando em algumas normas rígidas que a sociedade cria e que eu não estou com vontade de seguir.

2 comentários:

  1. tanto faz a sua linha. quando eu estiver por perto, vou estragar todos eles. por isso é muito melhor ser tio...

    ResponderExcluir
  2. He he he... não esquece que um dia, vc vai resolver produzir Japinhas em massa e será a minha vez... vou ensiná-los a atirar bolas de neve nos carros de luxo dos nossos vizinhos Canadenses e fugir pro sótão da casa da titia...hehehehehehe

    ResponderExcluir