quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Bizarrices











Se há alguém que gosta dos jogos eletrônicos mais bizarros, este alguém tem nome e sobrenome: Ursula Hummel. Tenho saudades até do bom e velho Telejogo, que troquei com o meu vizinho pela minha vitrolinha cor de laranja da Philips, quando tinha dez anos. Depois de algum tempo, vendi para minha mãe o brinquedo, que presenteou meu irmão. Naquele mesmo ano, meu pai comprou um Atari de presente de aniversário para minha irmã e a família garantiu anos de diversão. Não sei que fim levou o aparelho. Aos 18 anos, entrei em um consórcio para comprar um Mega Drive, em dez vezes. Só que até o pagamento da quinta parcela, ainda não tinha sido sorteada. Resolvi quitar as parcelas restantes e resgatar meu prêmio. Meu pai tinha dado ao meu irmão um videogame Super Nintendo, no qual jogávamos Super Mário. Mais alguns anos de diversão.

Confesso que não sou da era Playstation, Wii e qualquer outro jogo novo que eu não conheça. Gosto mesmo dos básicos de antigamente, onde diversão era passar o tempo sem cansar a vista na pequena tela dos televisores de 14 polegadas.

Ano passado, andando pelo shopping com as crianças, encontrei na entrada das Lojas Americanas um aparelho de DVD da Tec Toy que além de leitor de diversos tipos de mídia, ainda tinha 200 jogos embutidos na memória, além do Karaokê. Comprei na hora. Voltei para casa toda feliz, instalei o brinquedo e a alegria durou não mais do que aquele dia. Um ano se passou e o aparelho servia apenas como leitor de DVD, até que sábado passado, resolvi ressuscitar o brinquedo. E quem disse que dois irmãos em faixas etárias tão distintas, não podem se divertir juntos?

Os dois estão fascinados pelo velho brinquedo que estava empoeirado na gaveta desde o sábado. Brincam juntos, entram em acordos, o irmão aplaude e admira a irmã em suas conquistas, ela enrola ele para jogar mais vezes, mas a brincadeira chega a durar duas horas, sem briga alguma entre os dois.

Depois da passividade que estamos vivendo nos últimos dias, decidi desbloquear um Playstation II que trouxemos da Europa tem quatro anos, juntamente com diversos jogos, todos originais. Quem sabe eles se interessem um pouco por algo mais moderno, que também já ficou arcaico?

2 comentários:

  1. huahuahua. sem contar a velharia que dá saudade, já consigo imaginar a magrela trapaceando o pequeno. lembra que ela sempre foi pilantra nos jogos, desde criancinha?

    ResponderExcluir
  2. He he he... a briga entre os 2 é feia... se vc visse como ele rouba tb... td bisneto do Tião. O moleque é chorão q nem vc qd tinha o tamanho dele... e ai q eu te sacaneava, só pra largar de ser bichona... acho que deu um pouquinho certo... bem pouquinho... agora vc lembra do "ROME ISVITI ROME"????

    ResponderExcluir