quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Minha visão machista

Não sei se o fato de ter sustentado a casa durante tantos anos no meu primeiro casamento, desenvolveu em mim uma visão machista da vida. Aliás, não sei por que as feministas lutaram tanto, já que hoje a mulher vive atribulada de serviço e não dá conta de tudo.

Estávamos em sala de aula e o professor começou a ler um texto. Fez um adendo antes de iniciar, reforçando que não era a opinião dele, mas sim do autor. O texto me remeteu a uma conversa que tive semana passada com meu marido.

Tenho vontade de voltar a trabalhar e se voltei a estudar, em busca de uma nova profissão, foi com o intuito de exercê-la de alguma maneira. Mas sinto muito orgulho quando vejo meu marido saindo pela manhã, beijando-nos para abençoar nosso dia e indo prover o sustento da sua família.

Existem poucos homens como meu marido. E tive a sorte e o privilégio de Deus tê-lo reservado para mim. Não é apenas o fato de nos prover sustento, conforto e coisas materiais. É pela maneira com a qual ele exerce a função de chefe da casa, me protege e sempre me livra de resolver os abacaxis mais terríveis, aqueles os quais eu faria qualquer coisa para não passar perto.

Será que o fato de eu ser casada com um homem tão maravilhoso, que eu amo e respeito tanto, que me faz ser tão a favor da instituição que tantos julgam falida, chamada casamento?

Um brinde aos maridos que ainda sabem ser maridos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário