quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Eu e meus contos

Faz tempo que quero escrever sobre alguns personagens. Se são reais ou não, a dúvida ficará na imaginação do leitor (se é que alguém de fato lê este blog). Mas gostaria de ter um único nome para qualquer personagem feminina das minhas estórias e um único nome para os masculinos. Hoje, finalmente, consegui resolver tamanho conflito interno. Minha personagem feminina chamar-se-á Tereza. Ou Terezinha, para quem se sentir íntimo. Uma homenagem ao grande poeta Manuel Bandeira. E como Terezinha foi o nome da minha avó paterna, aquela que nem cheguei a conhecer, darei o nome de Bastião ao personagem masculino, em homenagem ao meu avô paterno, Sebastião. Queria deixar claro que o meu Bastião e a minha Tereza são como a Severina, do João Cabral de Melo Neto. Ninguém, mas ao mesmo tempo todo mundo. Mas nunca a mesma pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário