sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Entenda se for capaz...



É uma história real, cujos nomes dos personagens foram trocados, para preservar suas intimidades.

Caso 1: Edu e Lud eram apaixonados. Casaram-se e tiveram dois filhos, Joana e Pietro. Mas se separaram após alguns anos.

Caso 2: Carlos e Lúcia foram feitos um para o outro. Casaram-se e tiveram quatro filhos, Bárbara, Bianca, Bruno e Beatriz. Mas se separaram após alguns anos.

Caso 3: André e Camila se viram pela primeira vez e foi um encontro de almas. Casaram-se e tiveram dois filhos, Murilo e Lorena. Mas se separaram após alguns anos.

Caso 4: Moacir e Mirtes, que acreditavam em reencarnação, tiveram a certeza de que se amaram tanto em outras vidas que tiveram a chance de reviver nesta o seu amor. Casaram-se e tiveram os trigêmeos, Mellina, Melissa e Murillo. Mas se separaram após alguns anos.

Até aqui, os casos são todos comuns. Afinal, todo mundo casa e se separa. Nenhum dos quatro casais tem nada que ver com qualquer um dos outros. Ou não tinham. Um dia, Edu conheceu Camila e se apaixonaram. Assim como Lud conheceu Moacir e também se casaram.

Caso 5: Edu e Camila passaram a ter como “filhos”: Joana, Pietro, Murilo e Lorena. Mais os dois meninos que vieram “acidentalmente”, com o exato intervalo de nove meses, Bernardo e Gabriel.

Caso 6: Lud e Moacir juntaram suas famílias, uma vez que Moacir tinha a guarda dos trigêmeos. Assim, Mellina, Mellissa e Murillo tornaram-se irmãos de criação de Joana e Pietro, que já eram irmãos de criação do Murilo (com um L só) e da Lorena e irmãos biológicos do Bernardo e do Gabriel. E claro que se já não bastassem tantas crianças (muitas com idades idênticas), Lud e Moacir acharam que a união seria completa se tivessem um filho biológico juntos. Com o histórico de gestações múltiplas na família de Moacir, não contavam com o bilhete premiado e chegaram os quadrigêmeos: Samir, Samuel, Sther e Sara.

Depois disso, não vieram mais filhos. O mais velho de todos tem 18 anos e os caçulas, os quadrigêmeos, um aninho. São todos civilizados, convivem em paz, as famílias sobrevivem como podem, pagam pensão alimentícia quando dá (pois Mirtes e Lúcia continuam solteiras, e mulher divorciada quando vê o ex-marido casado, se torna um verdadeiro transtorno na vida do novo casal). Até o presente momento, ninguém foi preso. Mas as crianças são incapazes de contar verdadeiramente quantos irmãos possuem.


p.s.: os pais dos quadrigêmeos moram em um apartamento de dois dormitórios.

2 comentários:

  1. acho que o garcia marquez se baseou num caso assim pra escrever 100 anos de solidão...

    ResponderExcluir
  2. Putz MV, sei que o cara é um gênio, mas MORRO de preguiça de ler suas obras... acho sacais, cansativas... precisava de um bom professor de Literatura Espanhola para intermediar, para que eu começasse a gostar. Mas afirmo, não é plágio, é fato.

    ResponderExcluir