segunda-feira, 13 de julho de 2009

Uma questão de educação


Onde está a educação das pessoas? Será que ela ainda existe e, melhor, será que a educação ainda é um valor moral presente nos indivíduos?

Quantas vezes não ouvimos falar que brasileiro é tudo mal educado? Diversas. Discordo, pois educação não é uma questão de nacionalidade. É simplesmente uma questão de educação.

Será, porém, que em espetáculos teatrais mundo afora, ocorre como no Brasil? O espectador pode entrar a qualquer hora, depois da peça começada, atrapalhando tanto os espectadores que chegaram aos seus horários e estão devidamente sentados, como também os artistas que no palco se encontram, tentando fazer um trabalho perfeito e tendo sua concentração perturbada pela falta de educação alheia.

O povo brasileiro tem a fama de ser simpático. Concordo. Mas minha simpatia brasileira vai por água abaixo quando vivo uma incômoda situação assim. E não é só questão de chegar atrasado ou não ao teatro. Sábado passado, estava na fila do Viena, do Shopping Eldorado, para dar almoço para meu filho. A pior coisa que existe em uma fila, é a pessoa que está atrás grudar na da frente. É muita falta de educação. Por me sentir incomodada quando a coisa acontece comigo, sempre procuro manter uma distância razoável daquele que está em minha frente. Pois não é que em um pequeno vão, uma pequenina brecha, foi capaz de entrar uma mulher com seus dois filhos, pegar os pratos e se instalar na minha frente? Perdi o resto da paciência que me restava naquele dia. Cutuquei o ombro da fulana e disse que a fila continuava atrás de mim. Claro que recebi o sorriso amarelo, a desculpa de sempre: “eu não vi que tinha alguém”. Como assim? Eu tenho 1,71 metros, peso uma tonelada e a mulher não me enxergou? Da próxima vez, vou vestida de mamute. Assim estarei mais visível aos olhos dos mal-educados, ou, quiçá, porei medo nos fura-filas.

Um comentário:

  1. Essa deu raiva até de ler. Mas a natureza é sábia e nos proveu de duas armas poderosas para essas situações: o cotovelo e o joelho. Sabendo usar os dois, ninguém mais se atreverá a tomar sua frente ou fungar no seu cangote...
    bjoca

    ResponderExcluir