quinta-feira, 9 de julho de 2009

Proibição aos ônibus fretados

Já gostaria de ter deixado aqui não apenas meu comentário, minha opinião, mas minha indignação com a proibição. Só quem já trabalhou utilizando transportes coletivos públicos na cidade de São Paulo, teve o mesmo trajeto feito de carro e teve a felicidade de poder utilizar os serviços de ônibus fretados para se deslocar diariamente de casa para o trabalho, é capaz de entender que, sem a figura de hipérbole, trabalhar de fretado é como ir para a Lua em um foguete de última tecnologia. Encontrei uma matéria no blog do Milton Jung, jornalista da Rádio CBN. Abaixo, reproduzo-a na íntegra. Ela mostra minha indignação, também na íntegra.

Vou com o meu carro
Reproduzo neste post comentário deixado por Talita Urdiales sobre a restrição da prefeitura de São Paulo ao uso de fretados na capital paulista:


“Sou usuária do transporte fretado há 6 anos, moro na Zona Leste e trabalho na Zona Oeste (Rebouças). Concordo que existem exageros em relação a longas paradas em locais inadequados e também um certo abuso no trânsito, porém, acho que os benefícios que os ônibus trazem para a população são maiores que os malefícios.
Por diversas vezes já utilizei o transporte público de SP e mesmo sendo considerado o melhor do Brasil como foi citado em entrevistas com o Secretário Alexandre de Moraes, ainda está muito longe do ideal.

A alternativa apresentada pelo prefeito e pelo secretário municipal para a região leste foi: ir de fretado até o Metrô Belém e de lá ir de metrô até o meu destino. Essa proposta é simplesmente absurda, atualmente gasto de R$225,00 com o fretado, e garanto que o custo em trabalhar todos os dias de carro será menor do que o que gastaria indo até os “bolsões” que a prefeitura pretende criar e de lá ir de metrô até o escritório.

Frases como as que o prefeito e o secretário municipal de transportes divulgaram apenas nos mostram a total falta de conhecimento dos problemas no transporte público de SP. Tenho absoluta certeza que nenhum deles teve o “prazer” de conhecer a linha vermelha do metrô que liga a região Oeste a região Leste de SP. Gostaria de convidá-los a conhecerem a linha vermelha em horário de pico e depois disso divulgarem frases como a seguinte:“Um transporte como o de São Paulo é o melhor transporte público do país sem qualquer comparação, não há nível de comparação e que nós estamos cada ano que passa melhorando muito”, diz Alexandre de Moraes, secretário municipal de Transportes. 30/06/2009 - SPTV 2ª edição – Rede Globo.

Assim como TODAS as pessoas que pesquisei no meu fretado, irei todos os dias com o meu carro e acredito que não serão poucos os usuários de deixarão de usar os fretados e passarão a usar seus veículos.

É uma utopia pensar que o transporte público de SP seria capaz de suportar uma demanda de mais 50 mil pessoas (número divulgado pela própria prefeitura). O transporte JÁ está sobrecarregado e não presta um serviço de qualidade digno da maior e mais importante cidade do Brasil.

Se o intuito do Sr. Prefeito era melhorar o trânsito, sinto informá-lo que esta medida terá efeito contrário, porque 20 ou 30 carros prejudicam muito mais o trânsito do que 1 ônibus que comporta 45 pessoas. E se o intuíto do Sr. Prefeito foi melhorar o ar de SP, com certeza terá efeito contrário, nem todas as pessoas que utilizam o fretado tem carros novos e ainda que tenham, com certeza 20 ou 30 carros poluem muito mais que 1 ônibus.

Sei que minhas palavras ficaram muito vagas, mas tenho uma sugestão: Te convido e também convido o nosso querido prefeito e seu secretário para me acompanharem no meu percurso dos Jardins até a Zona Leste de duas maneiras: ônibus + metrô e de fretado em uma sexta-feira (dia em que o trânsito de SP que já é muito ruim piora ainda mais).

Admiro a iniciativa de melhorar o trânsito da cidade, mas acho que uma decisão tão importante quanto esta não pode ser tomada de uma maneira tão arbitrária como aconteceu. Se a intenção é diminuir os transtornos causados pelos fretados, deveria-se criar regras onde este serviço que é tão utilizado não seja prejudicado, mas aperfeiçoado. Minha sugestão é: tempo máximo de utilização dos ônibus, utilização dos pontos de ônibus existentes para o embarque e desembarque de passageiros, inspeção veicular para o controle de emissão de poluentes, substituição do óleo diesel pelo BioDiesel que polui menos, credenciamento de todas as empresas e percursos existentes, entre outras a serem definidas."
(quarta-feira, 08 de julho de 2009)

3 comentários:

  1. Acabei de lembrar que vc me apresentou aos ônibus fretados, logo que meu trabalho mudou para a Berrini. O ônibus era legal. Mas morar perto é muito melhor...

    ResponderExcluir
  2. Fala sério MV, o melhor de tudo é não trabalhar, ser rico e viver em uma ilha deserta, não Dublin, mas a Ilha de Robson Crusoe!

    ResponderExcluir
  3. MANIFESTO DOS DESCONTENTES

    Na literatura define-se Manifesto como um texto de natureza dissertativa e persuasiva, uma declaração pública de princípios e intenções. O manifesto destina-se a declarar um ponto de vista, denunciar um problema ou conclamar uma comunidade para uma determinada ação.
    O serviço de fretamento para transporte de passageiros surgiu no final da década de 50, no ABC paulista, fomentado pela forte industrialização da região. Com mais conforto e menos estresse, o transporte de passageiros por ônibus fretado fomenta a economia brasileira, movimentando R$ 3 bilhões por ano. Cada unidade tira 20 automóveis particulares das ruas, proporciona melhor qualidade de vida ao usuário, economiza tempo, diminui (isto mesmo) a poluição ambiental e ainda contribui com a elevação dos níveis de produtividade e assiduidade nas empresas e escolas.

    Em São Paulo se observa um déficit muito grande de eficiência e eficácia no transporte. O problema é que a Prefeitura de São Paulo, com a proibição de circulação de ônibus fretado, está caminhando na direção oposta no que diz respeito a oferecer um transporte urbano de qualidade.

    E se você que está lendo este post está achando que isto não vai lhe prejudicar, pois você não é usuário de fretado, como diz bordão: “espeeeera...” e se prepare... porque estes usuários migrantes do transporte particular vão invadir sua praia... ou melhor... sua condução. E vão chegar com tudo, querendo o seu (dele) espaço também.

    Para reflexão... Será que não estamos caminhando para um apartheid sócio- territorial onde cada munícipe deverá trabalhar no seu município...

    NÃO IMPORTA...

    "Primeiro levaram os negros
    Mas não me importei com isso.
    Eu não era negro

    Em seguida levaram alguns operários.
    Mas não me importei com isso.
    Eu também não era operário

    Depois prenderam os miseráveis.
    Mas não me importei com isso.
    Porque eu não sou miserável

    Depois agarraram uns desempregados
    Mas como tenho meu emprego
    Também não me importei

    Agora estão me levando
    Mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém
    Ninguém se importa comigo."


    Bertold Brecht (1898-1956)

    ResponderExcluir