sábado, 4 de julho de 2009

O dia em que fomos assistir A Era do Gelo 3 – 3D


Tinha tudo para ser apenas mais um sábado. O primeiro sábado de férias. Só para me encher de raiva, acordei às 6h30, tal como tenho acordado todos os dias de férias. Será que surtei? Quero dormir até tarde todos os dias e agora que posso, não passo das seis e meia?

Estava tudo combinado. Iria com a minha amiga Antinha levar o meu filho e o dela para ver “Romeu, um viralata atrapalhado”; mas ela resolveu trair o movimento http://www.precisamosfofocarurgente.com.br/ e resolveu acordar resfriada. Filme cancelado, o jeito era pensar em outra coisa. Museu, nem pensar; ainda estava sob efeito do trauma de sábado passado. Resolvi levar então o pequeno para ver o filme sem o amigo, quando meu marido teve a idéia de vermos “A Era do Gelo 3” em 3D.

Não eram nem dez da madruga. Queríamos uma sessão matinal. As únicas salas que ofereciam sessão antes do meio-dia eram, para nossa infelicidade, as do Cinemark. Lá fomos nós pagar os nossos pecados.

Ir ao Cinemark é um teste de paciência e de sobrevivência. Tenho certeza de que os funcionários, para ingressarem na empresa, passam por um teste de moleza e só os mais moles é que são contratados. Ah, claro que não é apenas esse o requisito. É também preciso ser mal-humorado, sem educação e antipático. Se reunir todas as características... bingo, está contratado!

Chegamos ao Shopping D; passavam dez minutos das dez horas. Lá fomos nós na minúscula e demorada fila para comprar o ingresso. Depois de passar pelo teste do cliente paciente, chegou a nossa vez. RGs, carteiras estudantis e finalmente, tínhamos nossos ingressos em mãos. Percebemos que as cabines blindadas, aquelas que davam aos clientes a sensação de visitante de presídio, foram retiradas. Será que tem algo que ver com a reportagem feita pelo Estadão, alguns meses atrás, que gerou um caderno inteirinho qualificando (ou desqualificando) os cinemas da capital paulistana? Vai saber...

Faltava só a pipoca. Só a pipoca? Foi só questão de esperar alguns minutinhos para que a escada rolante fosse ligada (afinal, tudo se faz em doses homeopáticas) e teríamos acesso ao piso do cinema. E esperar todos os minutos restantes até o momento do início do filme, para conseguir comprar dois combos infantis e um mega combo.

Esperar na fila da pipoca do Cinemark é uma das coisas mais irritantes que um indivíduo pode passar na vida. Eu havia até esquecido como era tal irritação, já que há um ano que não tinha a infelicidade de pisar em uma sala. Exatamente em julho passado, foram inauguradas as salas do UCI no Shopping Santana Parque. Podia ficar só na minha opinião aqui: salas grandes, qualidade de som impecável, limpeza ímpar e atendimento VIP desde a saudação na bilheteria até a despedida na saída. Porém, pode ser que minha opinião não baste. Então, basta procurar a matéria citada acima do Estadão e descobrir que essas salas foram eleitas como O TERCEIRO MELHOR CINEMA DA CAPITAL, perdendo apenas para o Cinemark do Iguatemi (leia-se Cinema VIP) e para o Unibanco Bourbon (que é sensacional).

Depois de muito esperar e conseguir, finalmente, ter os três combos em mãos, fomos ver o filme. Calma, não foi bem assim. Antes, tivemos que mostrar novamente toda a documentação, que já estava no fundo da bolsa, uma vez que até as fotografias já haviam sido conferidas anteriormente. Coisas que não acontecem no UCI, mas fazer o que, se estávamos no Cinemark? Após mostrar toda a documentação, recebemos nossos quatro pares de óculos, devidamente embalados. Por alguns instantes, míseros segundos, achei que minha impressão do Cinemark era até um pouco de implicância. Ledo engano. Desembrulhamos os óculos e as sujeiras instaladas nas lentes eram, no mínimo, nojentas. Ainda bem que todos estávamos de camiseta. Limpamos nossos objetos e nos preparamos para começar o filme. Será que vale a pena falar sobre a sujeira que os corredores se encontravam? Que nossos pés grudavam na sujeira? Que o copo de refrigerante das crianças era pequeno e caia no suporte para copos? Que o nosso copo de refrigerante era grande e não cabia no suporte? Bobagem. Vai começar o filme.
O FILME
Acho melhor não contar quem nasce, quem morre e muito menos contar o desenrolar. Só recomendo: vale a pena assistir (desde que não seja no Cinemark), pois o filme está realmente uma graça e é muito melhor em relação aos dois primeiros. Bom filme para quem desejar.

2 comentários:

  1. Hahuahuhua
    Como é que vc encara o shopping d e ainda quer cinema bom? Não sou defensor do cinemark, mas era grande frequentador do mkt place. E lá é Bronx... atendimento 100%. Acho que tá na hora de mudar...

    ResponderExcluir
  2. Bom MV, problema é atravessar a cidade, vou me estressar do mesmo jeito. A solução? Montar um cinema em casa....

    ResponderExcluir