sábado, 13 de junho de 2009

A melhor herança


Ensinar meus filhos a ler é o maior legado que posso deixar a eles e quando falo em ler, não estou falando em decodificar um sistema lingüístico. Estou falando de acesso.
Ler é muito mais que juntar palavras. Saber ler e interpretar aquilo que se lê é a grande chance do indivíduo de se tornar diferente em meio a tantos outros da sua espécie. A história da humanidade fica escrita, e para conhecermos nossas origens e nossas raízes, precisamos saber ler.
Meus pais sempre gostaram de ler. Meu pai morreu com um livro na cabeceira da cama: a biografia do Mao Tsé Tung que eu mesma havia mandado para ele, um mês antes do seu óbito, juntamente com outros oito livros que ele já havia lido e passado adiante. Minha mãe foi assinante do extinto (?) Círculo do Livro por anos e anos. Minha sogra lê quantos livros tiver ao seu alcance, não importa o assunto. Ela primeiro lê para depois opinar, positiva ou negativamente. A exceção é meu sogro que, definitivamente, não gosta de ler.
Meus filhos adoram livros. É adoração mesmo, idolatria. O shopping mais perto de casa, o Santana Parque Shopping, tem uma mega unidade do Magic Games ao lado de uma pequena Saraiva. Quando entramos no shopping, para onde é que eles pedem para ir? Acertou quem respondeu “para a livraria”.
Em casa há muitos livros e sempre agradeço a oportunidade de fazer meu tesouro crescer semanalmente e enriquecer o intelecto dos meus filhos. Afinal, o saber não ocupa espaço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário