sábado, 30 de maio de 2009

Identidade estudantil


No início do ano letivo de 2009, a Uniban resolveu mais uma vez inovar e surpreender aos seus alunos, quando informou que a identidade estudantil poderia ser impressa em casa, em qualquer tipo de papel. Claro que os problemas gerados foram inúmeros. Eu, por exemplo, imprimi meia dúzia de identidades estudantis, uma vez que um pedacinho de papel é alvo de perda fácil. Foi enorme o número de pessoas que pediam aos alunos uma cópia daquele papel, para entrar em salas de cinemas, teatros, exposições. Os problemas foram se agravando quando os locais passaram a não aceitar (e com toda a razão) aquele pedaço de papel (amassado em boa parte das vezes). Há algumas semanas, os alunos do campus Osasco fecharam a Avenida dos Autonomistas fazendo várias reivindicações e, dentre elas, a volta de uma identidade estudantil descente e aceita para o pagamento parcial (direito dos estudantes). Muitos dos cursos superiores cobram dos seus alunos o cumprimento de horas de estágio cultural. Vale visitas em museus, teatros, exposições, feira de ciências, enfim, tudo que se relacionar a cultura. Dizem ser uma exigência do MEC, o que minha ignorância no assunto não permite confirmar. Moral da história: na última quarta-feira, dia 27 de maio, recebemos uma mensagem eletrônica e no dia seguinte, fomos comunicados no campus de que, finalmente, a identidade estudantil (uma de verdade), se encontrava à disposição dos alunos. Apesar dos míseros quatro dias úteis para a retirada e das filas enormes que se formaram no setor de atendimento ao aluno, não há como negar que foi uma grande vitória. Infelizmente, para que algumas decisões sensatas sejam tomadas pelos prestadores de serviço, é preciso fechar uma grande avenida em horário de pico, mas se der certo, vamos fechar a Paulista, a Berrini, a 23 de Maio. Quem sabe haja mais vitórias em prol de grandes causas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário