terça-feira, 17 de março de 2009

O casulo e a borboleta


O que é vida? Para mim, é uma das palavras mais difíceis de traduzir, de difícil leitura e compreensão. Vida pode ser compreendida como momento, onde cada um fará o seu, intenso, longo, curto, feliz, triste.
Há uma dicotomia nessa interpretação, pois por mais que se diga que cada um tem o livre arbítrio em suas vidas, é mentira. Somos todos filhos de um ser superior, onipotente e senhor de todos nós. É Ele quem decide o início e o fim das nossas vidas. A doutrina espírita ensina que cada um é responsável por seus atos. Por tudo que li em muitos anos, somos sim, responsáveis, mas Deus define a hora de encerrar cada momento, de adormecer cada vida. O momento é agora, para ser intenso, para agradecer por tudo que temos e que somos, para fazer o bem, amar intensamente, perdoar as mágoas, eliminar os rancores e fazer de cada momento, o momento. O único momento.
O jornalista e escritor Marcelo Rubens Paiva, em seu livro “Feliz Ano Velho”, faz uma passagem linda, que li ainda adolescente e guardo profundamente em meu ser: “a vida dura poucos segundos; a história da humanidade se fará, com ou sem a sua presença; a morte é apenas um grande sonho, sem despertador para interromper”. Deixei a citação entre aspas, pois o autor diz algo muito parecido, não ipsis literis o que escrevi, mas a idéia pertence a ele. Façamos de cada momento de nossas vidas, um único momento, marcado de coisas boas e intensas. Deixemos que nosso casulo se transforme em uma bela borboleta constantemente.
E que hoje seja mais um grande momento para cada um de nós, marcado de profundidades, de amores, de perdões, de alegrias infinitas, de saúde, mas acima de tudo, de muita fé no ser maior que cada um acredita.

4 comentários:

  1. Filosófica hoje amiga. Um beijo grande, Fefa

    ResponderExcluir
  2. Ursa, amodoro seu blog amiga. Tati

    ResponderExcluir
  3. Querida, que bom termos a sensibilidade das pequenas coisas não?
    Estou aqui para te ler e te re-conhecer.
    Beijos,
    Paula Regina

    ResponderExcluir
  4. Fe, Tatinha, um beijo enorme em vcs...Paulinha, acho que não mudei muito não, continuo a mesma moleca de anos atrás, mas seja sempre bem vinda. Um beijo em todo mundo.

    ResponderExcluir