quinta-feira, 26 de março de 2009

Assino embaixo

Passei o dia refletindo sobre a prisão da empresária Eliana Tranchesi, da Daslu, e buscando uma forma de expressar meus sentimentos com relação ao assunto. Li e reli a notícia em todos os portais nacionais e eis que agora, ao final do dia, vejo o texto do Dimenstein, que tomo a liberdade de replicar, não sem antes dizer que faço meus os seus sentimentos:


"Certamente está ocorrendo uma satisfação popular com a prisão da empresária Eliana Tranchesi, dona da Daslu. Natural: numa sociedade com tanta impunidade, especialmente para os poderosos, ver um milionário dormir na cadeia soa como se, enfim, se fizesse justiça. Ainda mais porque vivemos numa sociedade desigual e a Daslu é uma das traduções do extremo da desigualdade. Não tenho nada contra que se tire até o último centavo de quem fraudou e deve dinheiro ao poder público. O que não entendo, porém, como se prende alguém que está em meio a um tratamento de câncer, não oferece risco à sociedade e, até agora, não deu sinais de que pretendia fugir do país afinal, estava pagando suas multas. O que pode argumentar é que, se não fosse pobre, Eliana não chamaria tanta atenção é verdade. Mas a minha sensação é de que se trata de um espetáculo midiático." ("A prisão de Eliana Tranchesi é um espetáculo?", Gilberto Dimenstein, Folha Online, 26/03/2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário