quarta-feira, 25 de março de 2009

A união faz a força

Tudo que fazemos em nossas vidas gera energia, seja a positiva ou a negativa. O cosmo é movido pelas energias que emanamos em nossos sentimentos e pensamentos. Não é uma constatação, apesar de a física quântica poder se embasar melhor no assunto. Trata-se de um modo de pensar, um sentimento. A lei da causa e efeito existe e está aí nos livros para quem duvidar. Energia não tem qualquer ligação com credo ou religião. Independente do nome que cada um dá ao seu Deus, sabe-se que nada surge do nada, nem os humanos, nem os animais, nem os vegetais. Nosso pensamento tem um poder infinito de atingir aquilo que queremos. Se ele for positivo, canalizado naquilo que desejamos alcançar, as chances são grandes de as coisas darem certo, mesmo que o resultado final não seja exatamente aquilo que inicialmente almejávamos.

Sou cristã, tenho Deus dentro do meu coração e uma forma peculiar de conversar com Ele em todos os momentos da vida. Aprendi que devemos pedir tudo que queremos a Ele. O que peço sempre é que eu seja capaz de tomar a decisão certa e quanto mais a vida caminha, mais tenho a certeza de que estou sendo ouvida. Peço diariamente pelo bem das pessoas, de maneira igual, para as que eu conheço ou não. Quando peço saúde e paz aos meus filhos, peço também para todos os outros filhos que vivem mundo afora.

Sei que tudo tem um porquê de acontecer e nada é por acaso. Minha filha passou por dez escolas diferentes, antes de estar na atual, a qual se encontra estudando pelo terceiro ano consecutivo. Troquei-a de escola muitas vezes por problemas educacionais, pedagógicos ou por mudanças físicas da família. Ela teve a infelicidade de ter muitas professoras ruins. Acho que a única professora que me marcou foi a primeira, a tia Marli, em uma escolinha de educação infantil muito simples, na Avenida Santa Inês. Depois, já na escola em que está, teve a professora Adriana, que acabou sendo promovida à coordenadora pedagógica, o que prova que não estou tão ruim assim de percepção.

Já meu filho teve muita sorte. Sua primeira berçarista, a tia Aline, era muito carinhosa e amorosa com ele. Depois veio a tia Ágatha, que infelizmente mudou de escola, mas felizmente, veio a tia Kátia para cuidar dele em uma fase tão importante, o seu segundo ano de vida. Junto com ela, tinha a tia Melina, a tia Thatá e a tia Lívia. Ano passado, no maternal I, ficou aos cuidados da tia Marina, uma louca desvairada que eu amo muito. Este ano, voltou a tia Lívia e fiz todo o enredo até aqui para falar dela.

A Lívia é uma dessas pessoas únicas, que Deus fez e jogou a receita fora. Tem um coração gigante, uma capacidade ímpar em lidar com problemas. É uma menina de 21 (22?) anos e talvez ela nem saiba disto, mas é muito querida não só pelos pais dos seus alunos, ex-alunos, mas também pela direção da escola e, tenho certeza, pelas colegas de trabalho. Meu filho gosta muito dela e, tenho certeza, ela sempre estará em um lugar especial no coração dele e de toda a nossa família.

Seus pais são separados e do novo casamento do pai, tem o seu irmãozinho de apenas um ano de vida. Há algumas semanas, o bebê ficou doente, internado e foi diagnosticada uma doença rara, de tratamento caríssimo, porém, tratável. Eis que semana passada, com o pequenino já em casa, reações estranhas foram observadas e em uma nova internação, foi constatado que o quadro agora é meningite bacteriana. O agravante é que a primeira doença impede que o neném possa tomar antibióticos para combater a segunda. Agora, os médicos tentarão uma nova dose do medicamento da primeira doença, que é caríssimo (falamos de alguns mil Reais), para que o antibiótico possa ser introduzido sem agredir a primeira doença.

E por que contei tudo isso? Para pedir que cada um que passe aqui, envie sua energia positiva para esse pequeno ser inocente que não sabe de nada, não entende o que está passando ao seu redor, que com certeza está sofrendo muito, assim como todos que o amam, mas que precisa lutar para combater suas duas enfermidades e ter uma bonita história para contar amanhã.

Que todos os nossos corações emanem energias boas, não apenas para o bebezinho dessa história, mas também para tantas outras vidas enfermas que se encontram mundo afora.

Um comentário:

  1. Ameeeei.... só não gostei muito do louca desvairada (rsrs)!!!
    bjkas

    ResponderExcluir