sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

NACIONAL, SIM SENHOR

Na foto: Bibi, Ricardinho, Leleco, Yurinho e Belita
Férias aqui em casa são assim: passeios, viagens, amigos, mas o imprescindível são as sessões de cinema. Nestas férias, assistimos a alguns filmes infantis: "Madagascar 2", "Bolt, o Supercão", "O Corajoso Ratinho Desperaux" e "O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes". Claro que as crianças amam de paixão. Já temos um ritual: juntamos-nos aos amigos, nos encontramos na bilheteria, compramos os tíquetes, as pipocas, sucos, balas e lá vamos nós, desequilibrando com tantas coisas em mãos. Pegamos os assentos móveis, escolhemos o melhor lugar da sala (por que sempre chegamos bem cedo), nos acomodamos e a bagunça começa. Antes de começarem os "traillers", pois depois que o telão se acende, o silêncio impera por boa parte do tempo. Ontem, fomos assistir ao último filme da lista e, quiçá, o penúltimo da temporada. As críticas não estava muito favoráveis, mas, às favas com a crítica. Quero fazer a minha crítica, omitir a minha opinião. E a minha opinião é que vimos o melhor filme infantil dos últimos tempos. Trata-se de um filme nacional, as personagens tem características que fazem parte da nossa história, do nosso mundo. Mostra para as crianças o que acontece quando se faz parte do ciclo da pirataria (e os prejuízos que se causam ao "pirateado"), traz canções com nossos ritmos, não deixando de fazer uma intertextualidade bem legal com outras produções "hollywoodianas". Gostei, recomendo, indico e espero mais. Parabéns ao cinema nacional, que ataca na ala infantil também.

Um comentário:

  1. Ursinha, é sempre ótimo estar em sua companhia. Beijos

    ResponderExcluir