sábado, 10 de janeiro de 2009

Amizade

A amizade é um bem, de muito valor e que não há dinheiro que a pague. Sempre dei o merecido valor para todos os amigos que tive e ainda tenho. E mesmo com algumas decepções que tenha vivido, ainda assim, preservo este tesouro a sete chaves.

Amigos são pessoas que entram em nossas vidas por um acaso. Mas não é por acaso que passam a fazer parte dela. Há fatores como afinidade, caráter, personalidade e valores, que fazem com que uma amizade possa ser comemorada a cada ano.

A Dra. Maria Helena, pediatra dos meus filhos, na casa dos sessenta anos, costuma dizer para a Isabela que é muito difícil ter amigos. Ao longo de nossas vidas, se conseguirmos conquistar uma das nossas mãos, cheia de amigos, somos seres abençoados e iluminados, que ganhamos na loteria. Acredito e faço da fala da doutora, uma máxima de vida.

Por um acaso, surgiu a Gaiola das Loucas. Não por acaso, as verdadeiras amizades sobrevivem. Não há coisa mais emocionante que ver nossos filhos, de apenas três anos, falando sobre os amigos de boca cheia, como se tivessem anos de história de amizade para contar. Leleco, Murilo Francesco, Pedro, Pedro Henrique, Yuri. Meus meninos de ouro, que fazem parte da vida do meu filho, fazem parte da minha vida e que fazem nossas vidas mais felizes.

Eu tenho, além de Deus, um grande amigo, que é o meu marido. Meu melhor amigo, companheiro, confidente, companheiro de luta, de vida, a pessoa que mais brigo no mundo e também a que mais dou amor. Tenho minhas amigas mais antigas, que sobreviveram às peneiradas e lá se vão vinte anos de amizade: Vanessa e Fernanda. Tenho outros grandes amigos que estão construindo suas histórias junto com a minha e, espero, poder ter um grande livro. Viva o amigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário