domingo, 16 de novembro de 2008

Ser mãe - parte 1


Passei a semana pensando no que deixaria dedicado à minha filhotinha no dia do seu aniversário. Hoje, estávamos brincando no parque com as crianças, eu, a Danisam e a Karina e começamos a falar sobre ser mãe, sobre o nascimento do primeiro filho, quando vivemos a primeira separação daquele serzinho tão pequenino e inocente.

A Karina contou sobre um curso que fez, para aprender a trabalhar as emoções.Ao falar do curso, falou da sua relação com o filho e comecei a chorar ao falar da minha relação com a Isabella. Toda mãe fala que ama aos filhos do mesmo modo, mas é mentira. Não se mensura amor e não se ama igual, pois cada indivíduo tem suas peculiaridades e amamos cada um de um jeito, mas ambos de forma intensa. Só que o primeiro filho é sempre o primeiro, é a primeira flor que desabrocha do nosso mais profundo eu, é o primeiro amor verdadeiro e incondicional que sentimos dentro de nós.

Hoje, minha pequenina completa nove anos de vida. Uma vida cheia de vitórias, com muito amor, carinho e pessoas ao seu redor. Uma criança que teve uma vida muito diferente de outras da sua idade, que todos consideram madura demais, mas que lá dentro, bem no fundinho, é uma grande criança.

Quando eu era criança, não via a hora de fazer 10 anos. Queria muito ter duas velas no bolo. Este é o último aniversário da minha menina com apenas uma velinha no bolo.

Que Deus abençoe minha filha para que ela cresça em um caminho com muita luz, paz e amor em sua vida. E tudo mais que eu pudesse dizer dela hoje, está guardado no livro que escrevi a ela e conclui quando ela completou os seus cinco anos de vida. TE AMO FILHA!

2 comentários:

  1. Oi querida, só hoje li seu blog. Adorei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Paulinha, demorei mais de um mês, mas vim dar um MUITO OBRIGADA pela visita! Beijos

    ResponderExcluir